quinta-feira, 19 de julho de 2007

Daqui e dali... Zaratustra

Passado – Presente – Futuro - Outra visão

A mãe das ciências da Natureza, a Física, ensina-nos que o Presente é um instante em movimento. E por isso esse instante já foi, ou seja, passou ao Passado ainda que acontecesse milésimos de segundo antes.

Esta visão micro, pela indução, constrói uma visão macro e reduz-nos somente ao Passado e ao Futuro. -Nada de novo para Einstein com os seus dualismos antagónicos.

Se não existe Presente o que existe então? Todo o Futuro à nossa frente e todo o Passado atrás.

Como o Futuro ainda não aconteceu, só nos resta o Passado. O passado são as nossas memórias e portanto, nós somos tão somente memórias. Somos tão somente Passado.

Adjacente a esta leitura, nasce um princípio de vida: Devemos programar o Futuro de maneira a construir um bonito passado. Ou de outra forma, devemos pautar-nos por construir bons momentos de modo a que tenhamos boas memórias e dessa forma sejamos naturalmente boas pessoas.

Na psicologia, um bom passado constrói uma boa pessoa.

"Perder tempo é, assim, o primeiro e, em principio, o mais fatal dos pecados. A duração da vida humana é efectivamente pequena e preciosa para que se tenha a certeza de que cada um é eleito. Perder tempo devido à sociabilidade, à ociosidade, à luxúria, ou até ao facto de se dormir mais do que o necessário para a saúde […] é digno de uma condenação moral absoluta."- Max Weber.
Portanto não desperdicem bons momentos. Pela vossa felicidade,
.
Zaratustra

1 comentário:

João Lopes de Matos disse...

Começa a ser um hábito muito agradável ler os seus escritos.A sua tese é deveras interessante.Mas a minha visão continua a ser diferente. Para mim o presente, embora fugaz, continua a ser o sustentáculo de tudo o resto.Sem o presente não há nada.O ser pensante(presente)permite que tudo exista,pelo menos sbjectivamente.