quinta-feira, 30 de julho de 2009

Aviso n.º 13500/2009 - Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães

Procedimento concursal comum para contratação de dois técnicos superiores e de quatro assistentes operacionais, no regime de contrato individual de trabalho por tempo indeterminado

Nos termos do disposto no artigo 50.º da Lei n.º 12-A/2008 de 27 de Fevereiro, e de acordo com o previsto na alínea a), do n.º 3 do artigo 19.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de Janeiro, torna-se público que por despacho do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães, de 3 de Julho de 2009, se procede à abertura de procedimento concursal comum, pelo prazo de 10 dias úteis a contar da data da publicitação do presente aviso no Diário da República, para a ocupação dos seguintes postos de trabalho:
Referência A - 2 Técnicos Superiores - Licenciatura na Área de Desporto/Educação Física, ou licenciatura com a vertente de Desporto/Educação Física;
Referência B - 4 Assistentes Operacionais - Escolaridade Obrigatória, aferida da seguinte forma:
4 anos - nascidos antes de 1966/12/31 (n.º 1 do artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 538/79, de 31 de Dezembro);
6 anos - nascidos entre 1967/01/01 e 1980/12/31 (n.º 1 do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 538/79, de 31 de Dezembro);
9 anos - inscritos no 1.º ano do ensino básico em 1987/1988 e nos anos lectivos subsequentes (n.º 1 do artigo 63.º e n.º 1 do artigo 6.º da lei de Bases do Sistema Educativo - Lei n.º 46/86, de 14 de Outubro).
Por ainda não se encontrar regulamentada e em funcionamento a Entidade Centralizada para a Constituição de Reservas de Recrutamento (ECCRC) foi efectuada consulta ao sítio da DGAEP-Direcção-Geral da Administração e Emprego Público, tendo-se verificado pelas FAQ's publicitadas que a consulta prévia prevista no n.º 1 do artigo 4.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de Janeiro, à ECCRC, está temporariamente dispensada.
Em cumprimento da alínea h) do artigo 9.º da Constituição, a Administração Pública, enquanto entidade empregadora, promove activamente uma política de igualdade de oportunidade entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação.

1 - Estes procedimentos regem-se pelo disposto nos seguintes diplomas legais: Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro; Decreto Regulamentar n.º 14/2008, de 31 de Julho; Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro e Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de Janeiro.
2 - Identificação do acto - A abertura de dois procedimentos concursais comuns para contratação de técnicos superiores, licenciatura na Área de Desporto/Educação Física, ou licenciatura com a vertente de Desporto/Educação Física - 2 postos de trabalho - (referência A) e de Assistentes Operacionais - 4 postos de trabalho - (referência B).
3 - Actividades a cumprir:
Referência A - actividade física e desportiva no âmbito da aprendizagem, lazer, recreação e actividades consultivas, de estudo e de programação;
Referência B - actividades de carácter manual ou mecânico e execução de tarefas de apoio elementares, indispensáveis ao funcionamento dos órgãos e serviços.

Mais informação em: http://pt.legislacao.org/segunda-serie/aviso-n-o-13500-2009-valores-avaliacao-candidatos-referencia-924919

Atendimento médico é o principal alvo das queixas dos utentes dos centros de saúde do Nordeste

Os médicos são os principais alvos das queixas dos utentes dos centros de saúde do distrito de Bragança. No entanto, nos últimos meses, as reclamações têm vindo a diminuir. A revelação é da directora do Agrupamento de Centros de Saúde do Nordeste (ACES), Berta Nunes.

Neste último trimestre temos vindo a assistir a uma diminuição das reclamações. Os médicos são a classe que tem mais reclamações. Umas têm a ver com as acessibilidades, às vezes expectativas que não estão adequadas àquilo que se pode esperar do Serviço Nacional de Saúde e outras questões que têm a ver com problemas de qualidade clínica. Também temos questões do atendimento administrativo, que também têm vindo a diminuir”, revelou.
Declarações de Berta Nunes, à margem da cerimónia de entrega dos certificados da marca de Atendimento de Qualidade, reconhecidos pelo ministério da Saúde e atribuídos aos 15 centros de saúde do Nordeste esta quarta-feira.
Isto não é um prémio. No fundo, é uma base da qualidade que devia ser elementar existir em todo o lado. É dizer que são capazes de atender com qualidade.”
Filipa Homem Cristo, da Missão para os Cuidados de Saúde Primários, explicou também que estes certificados são válidos por três anos mas são revistos duas vezes por ano.
Para poder ter esta distinção, um centro de saúde deve cumprir certos requisitos ao nível do atendimento dos doentes.
Regularam a forma de atender para que toda a gente seja atendida de uma forma igual quer no Verão, quer no Inverno, seja por um profissional ou por outro”, entre outros itens, como “a privacidade do utente”, envolvendo ainda “manuais de boas práticas” no atendimento.
Para além dos 14 centros de saúde do distrito de Bragança, também está contemplado o de Foz Côa, que pertence à área de influência do ACES Nordeste. Brigantia

SMS grandes responsáveis por acidentes de automóvel

Escrever um SMS a conduzir aumenta 23 vezes o risco de acidente, revela um relatório publicado nos Estados Unidos. Por cá, os últimos estudos da GNR concluem que 42% dos desastres dão- -se por distracção, também por causa do telemóvel. DN

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Diferenciação entre profs

Antero

Promover a leitura entre as crianças do distrito de Bragança

Foi com este objectivo que ontem foram assinados seis protocolos entre o Plano Nacional de Leitura do Governo e as câmaras de Bragança, Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, Vila Flor, Freixo de Espada à Cinta e Mogadouro. A ideia é organizar actividades que habituem os mais novos a ler livros.

Conceber projectos que permitam ir mais longe, chamando as pessoas para a leitura, colocando os livros mais próximos das crianças e dos cidadãos. E criando situações em que as pessoas possam fazer comunidades de leitores, ser chamadas a ler poemas, debater livros de ciências, uma diversidade de acções que já fazem mas que com os protocolos são incentivados a fazer mais, porque existem mais recursos”, explicou a coordenadora do Plano Nacional de Leitura.
A cerimónia decorreu esta terça-feira de manhã, no Teatro Municipal e Isabel Alçada, que para além de coordenadora do Plano é escritora de livros juvenis, aproveitou para revelar que este ano, as crianças que entram no quinto ano vão ter também livros escolares gratuitos.
No ano passado o Ministério da Educação disponibilizou livros para todas as crianças que entraram no primeiro ano de escolaridade e este ano vai disponibilizar para todas as crianças que entram também no quinto ano de escolaridade. Por outro lado temos parceria com os centros de saúde para promoverem a leitura. São os médicos e enfermeiros que aconselham a leitura em família desde os seis meses”, sublinhou a mesma responsável.
O financiamento destes protocolos vai ser repartido entre o Ministério da Educação e as autarquias.
Mas o presidente da câmara de Bragança, Jorge Nunes, afiança que o valor em causa é irrisório, não adiantando nenhum montante.
São valores muito baixos, não têm expressão. O recurso mais importante são as pessoas e a vontade das pessoas promoverem a leitura junto dos mais jovens, estimularem o acesso às bibliotecas, a organização dos recursos em rede – neste caso as bibliotecas escolares com a biblioteca municipal”, explicou Jorge Nunes, acrescentando que “essencialmente, o investimento que está previsto é na aquisição de livros. Mas as bibliotecas hoje têm imensos livros que daqui a nada não há espaço para os pôr. O importante é dar-lhes uma boa utilização”, concluiu o presidente da câmara de Bragança.
Este projecto já decorre há três anos e envolve professores e bibliotecas. Brigantia

Aterro da Terra Quente vai produzir energia a partir do lixo

Esta quarta-feira são inaugurados dois equipamentos que já estão em funcionamento no aterro sanitário da Terra Quente, em Urjais, Mirandela, num investimento de cerca de dois milhões e meio de euros.
Uma Central de Valorização Energética de Biogás, a funcionar desde Maio, que faz o aproveitamento energético do biogás para produção de energia eléctrica, evitando a sua emissão para a atmosfera. O equipamento custou um milhão, cento e cinquenta mil euros, e terá uma produção média anual de energia de 4.500 MWh, equivalente ao consumo médio de 1.500 habitações por ano.
Será também inaugurada oficialmente a Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes, que já funciona há cerca de um ano e que faz o tratamento dos lixiviados provenientes da deposição de resíduos sólidos urbanos pelo processo de evaporação. Um equipamento que teve um custo total de cerca de um milhão e duzentos mil euros, comparticipado em 85% pela Agência Portuguesa do Ambiente.
Ambos os equipamentos vão ser inaugurados pelo Secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, e são considerados uma mais-valia no processo de tratamento de resíduos do Sistema e na sustentabilidade ambiental da região.
Recorde-se que o aterro sanitário da Terra Quente recebe e trata mais de 50 mil toneladas de lixo por ano provenientes dos doze concelhos do distrito de Bragança e a ainda de Vila Nova de Foz Côa.

Eduardo Pinto/RA

segunda-feira, 27 de julho de 2009

O regresso do circo eleitoral

Obras da autoestrada só daqui a um mês

Afinal, ainda não foi desta que arrancaram as obras da autoestrada transmontana no distrito de Bragança. Ao contrário do que anunciou o deputado socialista Mota Andrade na semana passada, as obras no terreno só deverão começar em Agosto. Uma garantia deixada pelo próprio Ministro das Obras Públicas, Mário Lino.
Não sei a programação em pormenor mas estão a começar ainda muito proximamente. No distrito de Vila Real já estão em obra mas vão começar mais duas frentes, julgo que no distrito de Bragança e no próximo mês, ou uma coisa assim.”
A primeira fase deve incidir sobre a variante a Bragança, entre Rebordãos e as Quintas da Seara. Mas, mesmo com as máquinas ainda paradas, Mário Lino acredita que tanto a autoestrada transmontana como o IP2 e IC5 estarão concluídos na data prevista, ou seja, em 2011.
(...) Brigantia

CDU divulgou candidatos às Câmaras de Carrazeda, Freixo e Mogadouro

A CDU divulgou ontem mais três candidatos a câmaras municipais do distrito de Bragança.
Em Carrazeda de Ansiães, Manuel Carlos Madureira concorre à câmara, com Maria Dias Alves a candidatar-se à Assembleia.
Isaura Costa foi o nome escolhido para encabeçar a lista comunista em Freixo de Espada à Cinta. Para a Assembleia Municipal a lista é encabeçada por Carlos da Canhota.
Por fim, para disputar a câmara de Mogadouro o escolhido foi Francisco Madruga, que tem Clementina Marcos como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal.
Eduardo Pinto/RA

FARPA 2009 - Festival de Artes - Pombal




domingo, 26 de julho de 2009

Ligações ao litoral terminadas em 2011

Até 2011, estarão concluídas todas as acessibilidades entre Trás-os-Montes e o litoral. A promessa foi feita pelo ministro das Obras Públicas, numa visita às obras do túnel do Marão e da auto-estrada transmontana.

Mário Lino afirmou, ontem, que não tem razões para duvidar de que as obras estarão prontas dentro do prazo estipulado, assim como também acredita que estará a funcionar a concessão do Douro Interior, que incluiu o IC5 e o IP2. Segundo o ministro, trata-se de uma situação de cumprimento de prazos inédita no país. "Antes do Governo socialista, entre o lançamento de um concurso público e a assinatura do contracto de concessão, levava quatro a cinco anos, agora faz-se isso em 12 meses, neste caso, entre a concessão e o arranque das obras passaram seis meses", frisou.
O ministro considera que as obras estão a decorrer "a bom ritmo", mas lembrou que é preciso que este rigor e rapidez se mantenham. Sobre os maus exemplos de obras que se atrasam e que aumentam o seu custo, Mário Lino disse que não tem memória de nenhum caso neste Governo, "são do passado", justificou, salientando que há uma grande vontade de ter uma atitude mais eficiente.

No distrito de Vila Real, as obras da A4 já estão em marcha e em breve vão começar mais duas frentes, ambas no distrito de Bragança, "dentro de um mês", prometeu.
Mário Lino procedeu, ainda, à uma inauguração discreta da ponte internacional de Quintanilha, que é o último troço do IP4, uma estrada de ligação entre Bragança e o Porto, cuja construção se iniciou há cerca de 30 anos.
A recta final do itinerário principal abre ao tráfego precisamente "numa altura em que se arranca com a sua transformação em auto-estrada", lembrou o autarca brigantino, Jorge Nunes.
A ponte está construída desde Outubro de 2007 e esteve encerrada até há uma semana, porque não havia acessos do lado espanhol. Aliás, o Governo de Espanha apenas lançou a obra depois de a travessia ter sido concluída. Mário Lino negou que tenha havido uma falta de articulação entre países. Apesar de assumir que "houve atrasos da parte deles (espanhóis), mas muitas vezes nós somos masoquistas e só olhamos quando a Espanha se adianta e Portugal se atrasa", referiu.
Os espanhóis inauguraram a parte deles há uma semana e fizeram uma cerimónia local sem as autoridades portuguesas, uma situação que Lino diz entender, explicando que Portugal não fez nenhuma cerimónia internacional para assinalar a obra, "porque os espanhóis podem sentir-se incomodados, já temos isto pronto há muito tempo", afirmou.
JN

sábado, 25 de julho de 2009

Daqui e dali... Carlos Fernandes

Jovens e futuros músicos animam noite de Sexta-Feira

Na passada Sexta-feira, dia 24 de Julho, pelas 21horas, o Centro de Apoio Rural foi palco da actuação de algumas pequenas estrelas, que brilharam cá na terra. Refiro-me a um grupo de jovens que, na companhia dos seus respectivos professores, realizaram durante aproximadamente uma hora e meia, um Sarau Musical, em Carrazeda de Ansiães.
O evento partiu da ideia de um músico filho da terra (Jorge Saavedra), que vai dedicando com corpo e alma as suas merecidas horas de lazer, a esta juventude com vontade de aprender algo tonificante – A Música Tradicional Portuguesa.
O Centro de Apoio Rural tornou-se exíguo para acolher pais, amigos e vizinhos destes pequenos e futuros músicos Carrazedenses.
Foi magnífico assistir a um evento desta natureza, não só para ver os sorrisos emergidos dos rostos de pais e filhos, mas também para se testemunhar que em Carrazeda de Ansiães ocorrem acontecimento dignos de serem vistos e criticados pela positiva.
Para os professores e alunos envolvidos nesta acção duas palavra de apreço pelo trabalho apresentado: MUITO BOM.
Espero sinceramente que o Trabalho e Dedicação perdurem com o objectivo de brevemente sermos contemplados com mais uma actuação destas "Pequenas Estrelas Terrestres".
A semente está lançada. Que seja esta, a rampa de lançamento, para que Carrazeda desperte e consiga descobrir os talentos que encerra dentro do seu "coração".
A Juventude está de Parabéns.

Carlos Fernandes

sexta-feira, 24 de julho de 2009

zé-espertismo

Esta forma de governar esperta (zé-espertismo) está no sangue português. Sempre esteve. Depois é o que se sabe.
lpveloso - intertoon

Há muito mais gente a abandonar Portugal

Seja para estrangeiros ou para cidadãos nacionais, a capacidade de atracção de Portugal está em queda. As estimativas da população residente relativas a 2008, ontem divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística, mostram que o número de residentes que, no ano passado, decidiu abandonar o país mais que duplicou o patamar de 2001. (...) Público

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Governo "bastante aquém" do sucesso

Balanço do Compromisso Portugal conclui que o Executivo ficou muito longe dos objectivos que se propôs alcançar em 2005. De positivo, a resposta à crise financeira e a contenção de custos na Segurança Social
O Compromisso Portugal sustenta ser "improvável que este Governo [de José Sócrates] tenha deixado na história do País uma marca à altura da situação preocupante" em que vive a sociedade portuguesa.
Num estudo intitulado "O Estado da Governação", os autores - António Carrapatoso, Joaquim Goes e Rui Ramos - reconhecem que "o Governo mostrou intenção de efectuar mudanças, iniciou alguns processos de reforma relevantes". Contudo, "ficou bastante aquém dos seus objectivos em áreas fundamentais".

As áreas elencadas pelo Compromisso Portugal (que se apresenta como "movimento informal e apartidário de cidadãos") são: "O relançamento sustentado e estrutural da economia e sua competitividade (independentemente da crise internacional), a reforma e modernização da administração pública, a reforma da justiça e a melhoria da qualidade ambiental, sustentabilidade e coesão territorial."
"Dificilmente se poderá dizer que o País está agora em melhores condições de vencer os desafios futuros do que estava no início de 2005", conclui o estudo. "Basta constatar o continuado atraso nas reformas estruturais e a situação muito grave de indicadores com o PIB Potencial, as responsabilidades líquidas face ao exterior (...), o peso elevado da despesa pública e da dívida pública, directa e indirecta, face ao PIB, o nível relativo de qualificação dos cidadãos, para verificarmos como estamos condicionados em muitas das opções que poderemos tomar e os extraordinários desafios com que nos confrontamos".
A contenção dos custos da Segurança Social e a resposta à crise financeira internacional são as duas áreas onde o Governo "foi bem sucedido" - justificando "ainda uma nota positiva" os esforços de consolidação orçamental e de modernização e inovação, "o modo como terminou com alguns tabus na área da educação (...) e como alterou o sistema de gestão das escolas", o Programa Novas Oportunidades, algumas medidas sociais e a aposta nas energias renováveis.
As conclusões foram obtidas comparando o Programa de Governo aprovado em 2005 com "o que se pode verificar (...) a partir da informação disponível".
DN

Trás-os-Montes é das regiões mais pobres da Europa

A Associação Nacional das PME questiona o "desperdício" de fundos comunitários tendo em conta que segundos os resultados de um estudo agora divulgado que indica que a região Norte de Portugal é das mais pobres da União Europeia.
A Associação Nacional das PME questiona "desperdício" dos fundos comunitários, depois da divulgação de um estudo que coloca a região Norte entre as mais pobres da União Europeia e Trás-os-Montes como a sub-região mais pobre.
O "Estudo sobre a Pobreza na Região Norte de Portugal", elaborado pelo Centro de Estatística da Associação Nacional das PME e pela Universidade Fernando Pessoa, para a Comissão Europeia, indica que a região Norte é a mais pobre de Portugal e está entre as 30 mais pobres das 254 regiões da UE25, enquanto Trás-os-Montes é classificada como a Sub-Região mais pobre da UE27.
Segundo o mesmo documento, enquanto em 2005/2006 havia cerca de 693 000 pobres na região, em 2009, existia cerca de um milhão "resultado do encerramento de muitas unidades fabris e falência de outras empresas que levaram ao despedimento de milhares de trabalhadores com a consequente redução dos seus rendimentos".
O presidente da Associação Nacional das PME, Fernando Augusto Morais, considerou que as conclusões do estudo são "surpreendentes", tendo em conta o investimento comunitário que foi canalizado para a região, através do Quadro Comunitário de Apoio III.
"No ano 2000, as duas sub-regiões do Minho e Alto Douro e Trás-os-Montes foram identificadas como as mais pobres da UE-15. Por isso, a União Europeia injectou na região Norte cerca de sete mil milhões de euros entre 2000 e 2006 para que houvesse um crescimento de 4,5 por cento neste período, mas não só a região não cresceu como ainda por cima contém a sub-região mais pobre da UE-27", lembrou este responsável.
"O dinheiro investido não atingiu os objectivos", resumiu Fernando Augusto Morais, criticando o "desperdício".
O presidente da Associação considerou que é necessário responsabilizar as entidades responsáveis pela execução destes programas e o Estado e sublinhou que "
os contribuintes europeus vão querer saber como foi aplicado este dinheiro".
Fernando Augusto Morais lamentou também o facto de os recursos estarem "
concentrados nos mais ricos".
O estudo refere que, apesar da Região Norte ser a mais pobre do país, é na Área Metropolitana do Porto que se encontram as duas maiores fortunas nacionais (Américo Amorim e Belmiro de Azevedo), bem como empresas líderes sectoriais e mundiais como a RAR e a CIN, a maior associação de grandes empresas do País (AEP) e a maior associação de jovens empresários (ANJE).
O documento questiona ainda a abertura de cinco novos centros comerciais numa região onde existem já 25 destas grandes superfícies, o que "
prejudicará o comércio tradicional, bem como o crescimento e o emprego".
"São visíveis situações de pobreza extrema, privação e precariedade
", aponta o mesmo relatório, salientando que "a face mais visível desta 'nova pobreza' é o aumento dos pedidos de ajuda alimentar junto das instituições de solidariedade social, muitas vezes, na sombra do anonimato onde se identificam professores desempregados e muitos outros técnicos superiores".
Expresso

Troço da linha do Douro pode ser reactivado

O Governo está a preparar um protocolo com a Refer, CP, Estrutura de Missão do Douro, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e com alguns promotores privados, com vista ao estabelecimento de uma parceria para reabilitar 28 quilómetros desactivados na Linha do Douro, entre Pocinho e Barca de Alva.
O anúncio é da secretária de Estado dos Transportes que ressalva o interesse turístico da via.
A procura é muito baixa e a densidade populacional também, por isso não dá para justificar um comboio por semana” argumenta Ana Paula Vitorino, acrescentando que “o que estamos a fazer é encontrar novos parceiros que aproveitem a linha para fins turísticos”.
E a ideia será, segundo a governante, integrar a linha do Douro, entre Pocinho e Barca de Alva, noutros pacotes turísticos da região. “A nível mundial existe um turismo associado à descoberta dos rios através das linhas de caminhos-de-ferro e nós estamos a querer importar esse conceito para o Douro” refere.
A estimativa de investimento para a reabilitação do troço da linha do Douro, entre Pocinho e Barca de Alva, é de 25 milhões de euros.
CIR/Brigantia

Deputado socialista diz no Parlamento que a linha do Tua não tem interesse turístico

A linha do Tua não tem interesse turístico. A opinião foi defendida pelo deputado socialista Luís Vaz, eleito pelo círculo de Bragança, ontem à tarde na Assembleia da República.
Durante o debate sobre a petição da Linha do Tua apresentada há um ano pelo Movimento Cívico pela Linha do Tua e que tinha como propósito defender a linha do Tua da construção de uma barragem, o deputado afirmou que “a linha férrea deixou de ser útil para as pessoas que ali vivem e trabalham, que optaram pelo transporte rodoviário”.
Luís Vaz salientou que a ferrovia poderia ter potencial turístico, mas não diz que “não conhece um único operador turístico que se tenha interessado pela sua exploração”.
Quem não gostou de ouvir estas palavras foi a deputada do Bloco de Esquerda, Helena Pinto. “Apetece-me dizer que fiquei quase sem palavras depois de ouvir tudo o que o deputado socialista disse. Só faltou concluir com viva a barragem, viva a EDP”, ironizou. E José Silvano diz que Luís Vaz tem inveja de Mirandela. É desta forma que o presidente da câmara de Mirandela reage às declarações do deputado socialista, eleito por Bragança, proferidas, ontem, na Assembleia da República.
O também presidente da administração da Metro de Mirandela ficou surpreendido com esta posição de Luís Vaz. José Silvano considera que “só fala de Mirandela para cima e que não conhece o Vale do Tua”. Acrescenta que Luíz Vaz vestiu a pele de “deputado por Macedo de Cavaleiros” e que “como não passa lá a linha tem inveja que ela termine em Mirandela”.
José Silvano desmente também que não haja três operadores interessados em explorar a linha do Tua. "Basta consultar o estudo que as Câmaras fizeram para constatar que há empresas interessadas".
A petição sobre a linha do Tua vai ser votada esta sexta-feira.
Eduardo Pinto/RA

terça-feira, 21 de julho de 2009

Empreitada na linha do Corgo é consignada hoje pela secretária de Estado dos Transportes

A secretária de Estado dos Transportes preside hoje, em Vila Real, à cerimónia de consignação da obra de requalificação da linha ferroviária do Corgo, que representa um investimento de 23,5 milhões de euros.
A linha do Corgo, que liga os concelhos de Vila Real, Santa Marta de Penaguião e Peso da Régua, foi fechada em Março por razões de segurança.
Ana Paula Vitorino regressa a Vila Real na terça-feira para a consignação da empreitada, podendo as obras iniciar-se de imediato com vista à reabertura da via, em Setembro de 2010.
O calendário estabelecido entre os autarcas dos três concelhos e a secretária de Estado, no dia 30 de Março no Governo Civil de Vila Real, definia que seriam efectuados estudos preliminares em Junho nos 26 quilómetros de ferrovia e que a empreitada das obras começaria em Julho.
No terreno já decorreram trabalhos preparatórios, mas o grosso da obra começa agora com o levantamento de toda a estrutura da via, como carris, travessas, balastro, fixações, e intervenções de nível geotécnico como vertentes, muros, taludes e drenagens.
Será ainda feita a supressão e reclassificação de seis passagens de nível.
Aquando da sua deslocação a Vila Real, Ana Paula Vitorino lembrou os 103 anos de existência da Linha do Corgo e salientou que, "durante muitos anos", esta estrutura não teve qualquer intervenção".
Por isso, acrescentou, quando se começou intervir verificou-se que se "tratava de materiais que já tinham chegado ao fim da sua vida útil e por muita intervenção que se fizesse nunca se conseguiria repor as condições de segurança".
De acordo com a responsável, o relatório, feito com a ajuda de ferroviários suíços, concluiu que a "intervenção tinha que ser feita já".
"Não bastava fazer umas ligeiras intervenções de cosmética, tinha que ser feita uma intervenção de fundo
", sublinhou.
No início de Julho, os autarcas de Vila Real (Manuel Martins), Santa Marta de Penaguião (Francisco Ribeiro) e Régua (Nuno Gonçalves) pediram explicações ao Governo e à REFER sobre o que consideravam ser os atrasos no início dos trabalhos de reabilitação da Linha do Corgo.
Um autocarro está a substituir o comboio, mas, por diversas vezes, as populações e autarcas se manifestaram preocupados com a estrada "sinuosa e estreita" que liga os três concelhos, reivindicando, por isso, a rebertura da linha-férrea.

Lusa/RA

Cooperativa dos Olivicultores de Vila Flor e Ansiães aposta no azeite virgem extra aromatizado

A Cooperativa dos Olivicultores de Vila Flor e Ansiães vai lançar um novo produto para conquistar mais mercado: azeite virgem extra aromatizado.
Segundo Hélder Teixeira, presidente da cooperativa, a gama inclui "variedades com alho, malagueta, louro ou especiarias". Para já é uma experiência, mas "se resultar a ideia é investir forte neste produto".
A explicação de , que acrescenta que já está a ser preparada uma primeira remessa de 27 mil garrafas para lançar no mercado gourmet, até ao final deste mês.
A opção por uma garrafa de 25 centilitros obedece à estratégia inicial de promover o produto, para ver se as pessoas o aceitam bem.
O custo de cada unidade ainda não foi estipulado. A cooperativa está a analisar os custos de produção para depois fixar o preço.
Eduardo Pinto/RA

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Movimento Cívico pela Linha do Tua (MCLT)

Exmos(as). Senhores(as),
A Petição pela Linha do Tua Viva, mais de um ano depois de ser lançada, será discutida e votada em plenário, na Assembleia da Republica, no próximo dia 22 de Julho (quarta-feira), a partir das 15h.

O Movimento Cívico pela Linha do Tua (MCLT) lançou a Petição pela Linha do Tua Viva em 27 de Março de 2008 como forma de protesto, pela intenção do Governo de destruir o último troço da Linha do Tua, em funcionamento, para construção de uma mega-barragem na foz do Rio Tua.
O relatório com as conclusões resultantes do inquérito promovido pela Comissão das Obras Publicas, Transportes e Comunicações, na sequência da entrega da Petição pela Linha do Tua Viva, em 18 de Junho de 2008, com mais de 5000 assinaturas, a S. Exa. o Sr. Presidente da Assembleia da Republica, Dr. Jaime Gama, está agora disponível no site do MCLT, para conhecimento de todos:
Agradecemos que todos os interessados, com disponibilidade para assistir à discussão e votação da Petição pela Linha do Tua Viva, na Assembleia da Republica, no próximo dia 22 de Julho de 2009, nos contactem nesse sentido.
Atentamente, Movimento Cívico pela Linha do Tua

Douro vai produzir menos 13 500 pipas de vinho do Porto

O quantitativo de produção de vinho do Porto para a vindima de 2009 foi fixado em 110 mil pipas. Serão menos 13 500 pipas relativamente ao ano passado. A decisão foi tomada, ontem, em reunião do Conselho Interprofissional da Região Demarcada do Douro. A Produção contesta, o Comércio aplaude.
O presidente da Casa do Douro, Manuel António Santos, considera a redução da produção "inconcebível" e nota que já estava à espera que tal pudesse acontecer. O responsável desconfia que se venha a dar ainda um passo "mais prejudicial" para quem vive da vitivinicultura: "A redução dos preços". Daí que alerte os intervenientes no sector para a situação problemática dos viticultores que "já estão com a língua de fora e, de caminho, perfeitamente asfixiados!"
Manuel António Santos entende que este até seria um ano para se considerar a constituição de "uma reserva de vinho generoso no Douro, para colocar no mercado em momento mais adequado". Para a concretizar poderiam ser canalizados "alguns dos muitos dos milhões de euros que andam a ser espalhados por aí".
A directora executiva da Associação de Empresas de Vinho do Porto, Isabel Marrana, considera "adequado" o quantitativo fixado, pois vai "evitar que sobre vinho na vindima e permitir a manutenção dos preços". Um objectivo que vê como "essencial e estratégico" para o sector.
A redução era, de resto, esperada, tanto mais que, em 2008, a comercialização de vinho do Porto caiu 5,3% e, no primeiro semestre deste ano, a quebra foi de 3,7% sobre os números do ano anterior. "Não havia outra solução se não ter um benefício mais baixo", frisou Isabel Marrana.
Eduardo Pinto/RA/JN

Movimento Cívico pela Linha do Tua

Exmos(as) Senhores(as),
Nos últimos dias, recebemos as conclusões do colóquio "O Património Ferroviário do Douro", promovido pela Liga dos Amigos do Douro Património Mundial (LADPM) no passado dia 30 de Maio, no Museu do Douro, na Régua.
Congratulamo-nos com o sucesso desta iniciativa, na qual o MCLT esteve presente, e com o interesse e envolvimento da LADPM e seus associados, na defesa do património ferroviário da região, que inclui naturalmente a Linha do Tua.

Na sequência da divulgação feita através do nosso grupo de contactos e dado o interesse que esta iniciativa despertou, informamos que estão disponíveis no site www.linhadotua.net os documentos com as conclusões deste encontro, para conhecimento de todos:

Sugerimos ainda a leitura de algumas noticias publicadas na ocasião:

Atentamente,
Movimento Cívico pela Linha do Tua

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Daqui e dali... Vitorino Almeida Ventura

Eu e o Bloco,
mas, literalmente!

Quando recebi no meu endereço electrónico a Candidatura do Bloco de Esquerda, fiquei comovido.
Uma vez mais,
o nobre José Mesquita se lembrava de mim, mostrando de novo como, no blog pensar-ansiaes, que, infelizmente não acompanho há muito, _ _ suas palavras de Apoio (de tão completamente desinteressadas) a algumas de minhas iniciativas no concelho eram vestidas de sinceridade.
Tenho pena de não poder apoiar o Bloco, desde logo porque não voto em Carrazeda. De todo o modo, desejo-lhe o dobro, digo, o triplo do que desejaria para mim, ou seja, 3 x mais do que o BE obteve nas legislativas, pelo menos, dado o prestígio desta candidatura. Acresce, se o fizesse, teria de apoiar também quase-todos todos os outros candidatos, com excepção da ‹‹candidatura independente›› de Olímpia Candeias, e nessa parte concordo com o Bloco, pois é cultural_
mente ‹‹responsável pelo atraso e apatia do nosso concelho››. Suponho que ao referirem isto, o solar, perdão, professor José Mesquita, e Paulo Moura — essa figura vertical! —, etc., não são movidos por questões pessoais, mas apenas de ‹‹competência››, como fazem questão de salientar. E nisso também estamos de acordo. Vou relembrar, em síntese, que acho até que Olímpia Candeias perdeu, provavelmente, uma boa oportunidade de se afirmar, enquanto parlamentar, para o que tem bem mais qualidades do que para acções executivas (em minha modesta opinião).
A doutora Natália, no primeiro mês, enquanto vereadora da Cultura, já sabia mais, lendo, vendo, sobre todos os Autores da Terra do que Olímpia Candeias nos oito anos em que lá esteve. Tal desinteresse
pela obra do dr. Morais; Alzira Lima e Mário Cândido Pereira, pelo pensamento do dr.Lobo e da d.ra Otília Lage, pela obra fulgurante de Gilberto Pinto, pela escultura estruturante de Hélder de Carvalho, etc. etc., e os exemplos de desprezo foram de tal ordem, gritando, gritantes, que não vale a pena aqui reproduzi-los outra vez... Preferindo as realizações da dona Flora e da ceguinha de Chaves, por muito respeito sociológico que tais documentos me merecessem, numa feira de vaidades de versejadores sem técnica, que só podia acabar mal, como depois se sabe ter sucedido, numa célebre confraternização, onde se digladiaram, mas, literalmente!
Em vez do Bloco de Esquerda tão-só, prefiro ‹‹apoiar›› também as boas Ideias e pessoas, para Carrazeda, ‹‹como um bloco››. Assim, tanto me interessa repegar na minha simpatia adolescente por Trotsky, pelo conceito de internacionalização do sonho colectivo e da revolução permanente, como na minha actual simpatia, por exemplo, pelo Nuno Carvalho (e pelo meu primo, Luis Filipe Almeida) do CDS, para mim, sendo um desperdício que o irmão mais novo de Hélder de Carvalho não seja eleito vereador. Tenho-o como uma pessoa capaz de servir, educadamente, respondendo para mim à questão fundamental que o eleitorado se deveria colocar:
— Quem melhor do que ninguém me receberá, quando eu for tratar do assunto x ou y?
Mas, voltando ao Bloco de Esquerda...
Li, com agrado, as suas três Ideias para Carrazeda e Outras Ideias para ‹‹dar Cor a Carrazeda›› (ainda bem que alguém faz alguma Luz), mas quero contribuir com duas ou três questões, no sentido de as fazer amadurecer, mas quem sou eu?, nem um líder da Oposição nem um opinion maker generalista, pelo que a minha opinião despretenciosa nada vale fora da área da Cultura — e, mesmo aí, pouco-nada.

Nessa área,
quando se fala em ‹‹programação cuidada, sistematizada e potenciadora de desenvolvimento››, vejo aí um lugar comum, geral e abstracto, ocupado plenamente aí pela ideologia relha, onde cabem as ‹‹tabernas regionais›› e as ‹‹pousadas rurais›› da cultura pimba e/ou folclórica, pois são as únicas que potenciam desenvolvimento... económico, a curto prazo. Mas poderão ser os meus olhos que (não) vêem!... Mas
nem que fosse cuidada, cuidada, uma programação feita por Sofia Mesquita, que, se fosse eu a escolher, seria a líder desta candidatura, pondo o Futuro da Terra, os jovens em destaque... Escolhendo, como Francisco Louçã, Sérgio Godinho, Jorge Cruz... É que
não percebo como se não mantém o carácter ‹‹formativo do desporto››, para a Cultura, por que razão se propondo para uma área ensinar a pescar e para a outra (continuar a) dar o peixe do rio, já frito e bem, pelas ‘elites’? Não percebo
por que se não mantém a ideia de formação, cumprindo uma articulação com as Escolas e a Biblioteca Municipal, essa, sim, potenciadora de desenvolvimento cultural a longo prazo, parecendo-me completamente peregrina essa de criar uma biblioteca itinerante no Desert(ificand)o... Como um oásis a que se não vê retorno, qual Plano Nacional de Leitura de uma cadeia de gelados, destinado ao paradoxo de dar a ler a velhos e velhos, abandonados nas aldeias, ademais analfabetos, pelas séries televisivas — um filme dos anos 70, a preto e branco, da Gulbenkian. Seria criar um novo Festim Medieval, para quem não aprendeu a amar a Língua.
Em vez disso, avanço com uma proposta que deveria ser transversal a todas as candidaturas. Não misturar a política com a Cultura e inaugurar o Centro Cívico (ou na Biblioteca, se demorar) com uma exposição de Hélder de Carvalho, como a que tem neste momento na Galeria Artes Solar de S.to António, ao Porto, intitulada "Formas de contiguidade no espaço". Aberta ao Distrito e ao País.
Já, sinceramente, não me revejo na superioridade moral da candidatura do Bloco, em que os seus membros têm ‹‹convicções››, ‹‹rigor e transparência›› e ‹‹não (vão) ao sabor das conveniências pessoais e de grupo››, além da ‹‹competência››, que me lembra o jargão técnico do eduquês. Simplesmente, isso não se diz, faz-se! Também não entendo a confusão entre apoiantes e membros da candidatura...
Mas, parabéns. Pelo menos, avançaram Ideias para o fogo urgente do Debate.

Vitorino Almeida Ventura

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Vila Flor - A aldeia fantasma de Gavião

Aldeia abandonada, há mais de 50 anos, é um atractivo turístico da freguesia de Seixo de Manhoses
A viagem faz-se a um ritmo lento, por um caminho de terra batida. Durante o percurso até à aldeia abandonada do Gavião avista-se uma paisagem deslumbrante sobre o Vale da Vilariça.
O cenário ganha, ainda, mais vida com as vinhas, olivais e amendoais cultivados, que demonstram a riqueza agrícola da freguesia de Seixo de Manhoses, situada a seis quilómetros de Vila Flor.
Abandonada pelos últimos habitantes há mais de 50 anos, a aldeia de Gavião é, agora, um local em ruínas visitado por aqueles que deixaram lá as suas raízes ou por curiosos que querem conhecer a vida que existiu, outrora, neste local privilegiado pela natureza.
Numa visita àquelas que já foram ruas movimentadas encontramos um amontoado de pedras que vai resistindo ao passar dos anos, mas também casas com cobertura e fachadas, bem como vestígios de um lagar e da antiga capela de Santo António. A eira é, igualmente, um espaço que ainda prevalece, apesar das silvas terem tomado conta da área que, antigamente, era destinada ao cereal.
Os encantos do Gavião já entraram em casa da maioria dos portugueses através das imagens divulgadas na novela “A Outra”. Desde então, este local tem tido um maior número de visitas. “Há muitas pessoas que vêm à procura do Gavião e todas elas ficam fascinadas”, realça o presidente da Junta de Freguesia de Seixo de Manhoses, Constantino Olmo.
Para que este local não passe despercebido, até foi colocada uma placa à entrada da freguesia a indicar o caminho. No entanto, tardam os investimentos para transformar o Gavião numa aldeia turística. “Só seria possível através de investimento privado. Já houve pessoas interessadas, mas depois aparece sempre algum entrave”, lamenta o autarca. Jornal Nordeste

VII Terra Flor - Vila Flor


terça-feira, 14 de julho de 2009

Conservatória sem condições muda de espaço

A Conservatória do Registo Civil e Predial de Carrazeda de Ansiães vai mudar-se para o edifício onde funcionam os Serviços de Finanças, que dispõem de uma área vaga com 570 metros quadrados.
É que na actual sede faltam condições mínimas. Há escassez de espaço e o acesso faz-se por umas escadas com mais de duas dezenas de degraus, estreitas e íngremes, que já originaram a queda de utentes idosos.Além disso, há uma única e exígua casa de banho para servir a conservadora, os funcionários e o público. O arquivo foi feito na cave, o que obriga a continuadas descidas e subidas para consultar documentos.
Tal situação levou os deputados do PSD na Assembleia da República eleitos pelo círculo de Bragança, Adão Silva e Magda Borges, a visitar as instalações no passado mês de Maio. De seguida apresentaram um requerimento ao Ministério da Justiça em que alertavam para as condições difíceis do imóvel, quer para funcionários, quer para os utentes, exigindo a intervenção da tutela. A resposta foi breve e positiva.
Averiguou-se uma alternativa credível, pôs-se o problema ao ministro da justiça e das finanças e agora vai passar a haver novas instalações de acesso fácil” refere o deputado do PSD. Adão Silva releva ainda a intervenção das populações que, na sua opinião, devem estar sempre atentas e denunciar situações como a da Conservatória de Carrazeda. “Devem estar alerta e reivindicativas tal como nós devemos acompanhar as preocupações das populações e os Governos a resolver os problemas”.
A Conservatória do Registo Civil e Predial de Carrazeda de Ansiães vai mudar de sede.
O Ministério da Justiça já anunciou que a Direcção-Geral de Impostos está disponível para ceder ao Instituto dos Registos e do Notariado, parte das instalações dos Serviços de Finanças de Carrazeda de Ansiães. CIR

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Mostra de Cinema em Macedo

Macedo de Cavaleiros recebe a partir desta sexta-feira, e durante três dias, a 1ª Mostra de Cinema e Vídeo Documental “Feixes de Luz”.
Uma iniciativa da Associação Potrica que traz ao público documentários em que o Nordeste Transmontano é o tema central.
Segundo Luís Pereira esta é uma iniciativa que vem complementar as actividades culturais da cidade.
Analisamos a oferta cultural e isto estava em falta e chegamos à conclusão que o cinema documental era uma vertente cultural que ainda não tinha sido explorado aqui na cidade” afirma o organizador.
As potencialidades turísticas e a cultura do Nordeste Transmontano vão estar presentes nos cinco filmes desta primeira mostra.
(...) Brigantia

Daqui e dali... Sabre07

Soro antiofídio precisa-se

Um jovem conta um fragmento da vida real e que podia dar origem a um final trágico, conta-a como a percepcionou e que sentimentos o envolveram.
Uma história para todos nós reflectirmos, sem ficção, a pura e dura sucessão de factos.
Parabéns ao Orlando, necessitamos de parar e fazer um exame de consciência sobre a velocidade vertiginosa que actualmente vivemos e dar mais valor à vida, ao essencial.
Infelizmente a politiquice que podia e devia estar afastada destes relatos, não consegue e sistematicamente resulta em ataque à candidata Olímpia Candeias (OC), a veneno acumulado é tanto que presumo que esteja acidentalmente a ser inoculado por alguns comentadores, dando origem a neurotoxicidade, causando repetições enfadonhas, porque o som, surge sempre da mesma tecla, sem novidades portanto!
Durante quatro anos, estiveram os jovens sem transporte camarário para a piscina, pessoalmente não concordo, mas quem esteve distraído durante todo este tempo? Quem devia reactivar estes transportes e não o fez? Pergunta endereçada a todos os “políticos autárquicos” com poder de aconselhar, propor e executar.
Ou será que OC ainda detém o poder absoluto na autarquia? Que me dizem dos transportes colectivos camarário dos jovens para a piscina, só este ano? E aos fins-de-semana, não é necessário? Quem não quer pagar, e não tem pago noutras situações, as horas-extras? Para os mais distraídos, foi encontrado o culpado “eleições”.
Curso teórico-prático de suporte básico de vida, para os funcionários a exercer a sua actividade profissional na piscina, dois anos seguidos, quem teve a iniciativa? … eu digo, OC. Alguns funcionários da câmara estiveram presentes, nestas acções, pode ser confirmado. Abandonou-se a iniciativa porquê, e quem?
Quanto a perseguições e castigos aos funcionários, sou apologista da resolução dos problemas por via negocial, com uma dose de tolerância, mas tudo tem limites, quando estes são ultrapassados a via é participação, inquérito com instrução do processo por quem de direito e conclusões, sendo estas aceites pelo “chefe” ou não. Preferem a anarquia, ou cada um ser chefe de si próprio?!
A democracia, de que tanto se fala, alguns serviram com gratidão, muitos e muitos anos, os “ditadores”. Hoje renegam esse apoio/colaboração. O ditado popular diz: os ratos são os primeiros a abandonar o barco, ou quem tem telhados de vidro (se não estiver tudo quebrado) ….
Ontem elogiavam o trabalho de OC, hoje nada foi bem feito, pelo contrário. Durante todo este tempo (4 anos), nem habilidade para modificar o que de “mal” foi feito!!!! Haja pachorra, porque paciência eu tenho.
Esta é a democracia à nossa maneira. Democracia não é apenas discutir é muito mais decidir, os objectivos ou a melhor maneira de os atingir.
Pode apontar-se mais que um caminho para a resolução dos problemas desta terra, mas de uma coisa tenho a certeza, o suicídio (envenenamento) não é solução, por muito que insistam nela.

Sabre 07

250 mil euros para requalificar igrejas

Preservar o património da região. Foi com este objectivo que ontem foram assinados em Bragança quatro protocolos no âmbito do Programa de Equipamentos Urbanos de Utilização Colectiva, que contemplou 73 projectos a nível nacional.
Em causa está a reconstrução e ampliação do pavilhão multiusos de Torre de Dona Chama, em Mirandela, e a reparação de três igrejas: a de Quintela de Lampaças, em Bragança, a de Talhas, em Macedo de Cavaleiros, e a de S. Martinho de Angueira, em Miranda do Douro. Projectos que no total ascendem aos 400 mil euros e têm uma comparticipação do Governo de mais de 250 mil euros.
(...) Brigantia

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Concelhos combatem pobreza e exclusão social

Alfândega da Fé, Bragança e Carrazeda de Ansiães, são os primeiros concelhos do distrito a aderir ao programa CLDS (Contratos Locais de Desenvolvimento Social).
Trata-se de um programa de intervenção social, concebido em 2006 e que pretende combater a pobreza e a exclusão social.
Em Vinhais já está a decorrer um projecto-piloto. (...)
Em Carrazeda o programa vai ser implementado pela Santa Casa da Misericórdia.
O provedor acredita que este programa vai melhorar o bem-estar de cerca de três mil pessoas. “Temos uma situação específica que é a comunidade de etnia cigana que apesar de estar integrada tem problemas ao nível da habitabilidade, o trabalho que é muito sazonal, a participação das crianças na escola” explica Ricardo Paninho. (...)
Os três Contratos Locais de Desenvolvimento Social contemplados nesta fase do programa representam um investimento de um milhão e 575 mil euros.
Cada projecto recebe 450 mil euros durante os três anos de vigência do programa
. Brigantia

Guedes de Almeida pode ser expulso do PSD

O militante social-democrata que vai candidatar-se à câmara de Bragança pelo CDS/PP, pode vir a ser expulso do PSD.
Depois de ter abandonando a candidatura independente que já tinha anunciado, e revelar que afinal avança pelos populares, Guedes de Almeida, corre o risco de ser suspenso do PSD por estar a violar os estatutos do partido.
A instauração do processo disciplinar deverá ser despoletado pela comissão política concelhia de Bragança do PSD. “Nós vamos fazer aquilo que nos compete, informando a comissão política nacional que deverá proceder à sua expulsão, porque está a infringir os estatutos” afirma Paulo Xavier, o presidente da comissão política concelhia.
Este responsável não mostra surpreendido com esta atitude de Guedes de Almeida porque “ele já esteve muito próximo do PS, do PRD, tornou-se social-democrata e agora vai para o CDS, fazendo um bom percurso político” afirma, irónico, Paulo Xavier.
(...) Brigantia

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Ministra responsabiliza comunicação social pela baixa a Matemática

Foi a primeira surpresa do dia em que foram conhecidos os resultados dos exames nacionais do Secundário. “Menos investimento, menos trabalho e menos estudo” do lado dos alunos, comentou a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, a propósito dos resultados no exame de Matemática A, realizado por 38.303 estudantes.
A média dos alunos internos (os que frequentam as aulas todo o ano lectivo, que são a maioria) desceu de 14 para 11,7 e a percentagem de retenções mais do que duplicou (de sete para 15 por cento), o que, segundo a ministra, se deve à difusão, pela comunicação social, “da ideia de que os exames eram fáceis”.
Em conferência de imprensa, o secretário de Estado Valter Lemos alargou o leque de responsáveis, juntando a Sociedade Portuguesa de Matemática e “partidos e pessoas com responsabilidades políticas”. “É um desincentivo ao estudo e ao trabalho”, sublinhou. (...) Público

Gripe A

Henrique Monteiro

PSD avança com CDS/PP em cinco concelhos

O PSD vai avançar coligado com o CDS/PP em cinco dos doze concelhos do distrito de Bragança, nomeadamente em Alfândega da Fé, Torre de Moncorvo, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta e Macedo de Cavaleiros. O líder da distrital social-democrata, Adão Silva, considera que os “entendimentos” entre o PSD e o CDS/PP são “bons” e “muito apreciados” pelo povo. “Quando fizemos estes acordos, em 2001, conseguimos muito sucesso, mesmo em concelhos em que isso era inesperado, como foi Macedo de Cavaleiros”, apontou. Adão Silva avançou ainda que o dossier autárquicas, no distrito de Bragança, está encerrado, pelo menos no que diz respeito aos cabeças de lista. O processo das outras listas será depois elaborado pelas comissões políticas concelhias. Mensageiro

terça-feira, 7 de julho de 2009

Escolas primárias devolutas ganham nova vida

Quatro edifícios municipais foram ontem cedidos pela câmara de Bragança a outras tantas associações do concelho.
Três correspondem a escolas do primeiro ciclo do ensino básico que vão ficar desocupadas no final do ano, devido à concentração dos alunos em centros escolares.
Uma das escolas, a da aldeia de Rebordaínhos, vai transformar-se num centro de dia para idosos prestando ainda o serviço de apoio domiciliário.
Vamos tentar por começar restaurar o edifício para colocar lá um centro de dia e a nossa sede” refere o presidente da Associação Sócio-Cultural e Recreativa de Rebordaínhos. “Agora no início, pensamos começar pelo apoio ao domicílio e só mais tarde é que vamos ver se conseguimos avançar para a construção de um lar de idosos” explica José Maria Pereira.
Outro edifício foi cedido ao Rotary Clube de Bragança, que ali vai instalar a sua sede e a universidade sénior.
No entanto, o edifício precisa de ser recuperado. “Vai ser oportunamente e o prazo óptimo seria o mais rápido possível” refere o presidente da direcção do Rotary estimando que sejam necessários 50 mil euros para requalificar as instalações. José Moreno espera contar com o apoio da câmara para “fazer uma candidatura que disponibilize financiamento” pois antes das obras não é possível fazer a mudança de espaço.
O presidente da câmara de Bragança mostra-se disponível para ajudar na requalificação dos edifícios, mas diz que não será possível através de fundos comunitários.
A autarquia não pode disponibilizar todo o apoio financeiro necessário para a recuperação dos imóveis” refere Jorge Nunes acrescentando que “é preciso que as instituições angariem outros apoios, mas temos consciência que em algumas situações o esforço principal vai ter de ser do município”.
Ainda assim, o autarca diz que “não há possibilidades de serem desenvolvidas candidaturas de âmbito comunitário”. Por isso, “terá de ser feito um esforço por outra via” reforça.
Ontem, foi ainda cedida a escola primária de São Sebastião à Banda Filarmónica de Bragança e a escola da Estacada à Casa de Trabalho Oliveira Salazar.
Na cidade ainda há mais duas escolas para ceder a instituições.
No meio rural, ainda há algumas escolas fechadas mas a maior parte já foram entregues a associações.
Brigantia Foto Ansiães Aventura

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Daqui e dali... Orlando Carvalho

"A minha quase morte"

-Hélder! Se me acontecer algo puxas-me ok? -disse eu preparado.
-O quê? Achas que podemos contiguara-se o Vítor.
Nunca tinha pensado que estas seriam as últimas palavras que ouviria. Então saltei para a agua, senti-me bem e comecei a nadar, e de repente: nada...
Tudo começou num dia normal, igual a todos os outros dias normais. Nesse dia decidi ir para a piscina com os meus amigos.
Tudo estava bem, o pessoal a rir com as figuras que fazíamos e o calor de um sol quente a sorrir para nós.
Decidimos então ir comer qualquer coisa mas pensei: "é melhor não comer já que me apetece um gelado no fim". Então o Hélder e o Vítor pediram algo e eu fui falar com o doutor Albino que estava ali a beber algo:
-Sr. Doutor preciso de ir marcar uns exames, quando e que está por lá?
Ele disse-me então o dia a que estaria acessível e fomos até a toalha, o Hélder quis se ir embora, e eu disse "fica mais um pouco, não vás já".
-Este ano ganhei mais resistência, penso que estou na minha melhor forma, Hélder! Se me acontecer algo puxas-me ok?
Foi como se tudo fosse um sonho, apenas me lembro de estar a nadar e simplesmente apagar, sonhar com as pessoas desse dia e uma grande sensação de frio, e como se estivesse a ir dormir, a desvanecer...
Mal eu sabia que o Hélder me tinha tirado da piscina com força, ainda hoje ele fala na adrenalina; o Daniel ao ver-me naquele estado ficou em choque, deixou-me cair e bati com a cabeça; e o medico e os enfermeiros que estavam no local a fazer-me reanimação para eu simplesmente viver.
-Onde estou? Ha? Tio és tu? Dói-me a cabeça, onde e que eu estou?
-Estás na ambulância, acalma-te que vais para Mirandela, tiveste muita sorte que estava lá o médico na piscina e que foram rápidos...
Então troquei para a SIV e lá fizeram-me mais alguns testes, já no hospital entrei em hipotermia e mais tarde em hipotermia devido a como estava, sentia cada músculo dorido como se tivesse entrado em convulsões...
Passado esse dia lá acordei eu, mas o medico disse"o pior ainda não passou, tens de fazer exames por causa de poderes ter criado uma pneumonia química dado a água que engoliste e ao cloro dentro dela". Eu nem sabia que o tratamento de choque ao cloro da piscina me poderia afectar ainda mais visto que este é extremamente nocivo.
Então nos dias seguintes fiquei em casa dos meus padrinhos tendo em conta que se sentisse algo iria logo para o hospital.
Nesse tempo isolado de tudo pensei em 1001 coisas, tal como o quão frágil é a nossa vida, nas coisas que gostaria de fazer e tinha guardado para depois, nas pessoas com quem tinha vergonha de falar, e também e se eu não tivesse falado com o médico?
E se este não estivesse na piscina? E se deixasse ir o Hélder mais cedo? E se lhe dissesse para não me vigiar? E se eu não estivesse habituado a pressão? (poderia estar surdo. no mínimo)

E o que fizeram os vigilantes da piscina? Nem ao fundo da piscina me foram buscar?

E nadador salvador? E se fosse uma criança como é normal num dia de Agosto no meio de 500 pessoas que tivesse caído na parte funda, por mais que gritasse dentro de agua ninguém ouviria, apenas iriam reparar nela passado umas horas quando viesse ao cimo? Ou então ficaria ali até ao próximo dia? E se fosse um filho seu? E se fosse você?

Mas o que me deixou muito pior foi o que uma pessoa me disse, mais uns minutos ou segundos lá no fundo e ficaria com paralisias, num estado vegetal ou então mesmo morto.
Desta vez tive uma tremenda sorte, mas não é por mim mas porque o que aconteceu nesse dia não foi algo sem significado que se possa esquecer mas por todos nós, tenham atenção a isto ou será que vão fazer algo apenas quando estiver alguém entre 6 tábuas.

Agradeço MESMO a toda a gente que me ajudou, aos meus amigos (pessoal da pesada he he he), médicos e enfermeiros (pessoas 7 estrelas tanto as do local como do transporte e do hospital), bombeiros (toda a gente fala mal deles mas fogo entendam de uma vez que é das únicas coisas de jeito que funcionam como deve ser por aqui), minha família (que preocupei mesmo muito) porque se não fossem eles não estaria aqui e todas as pessoas em geral da vila (pela preocupação que têm tido comigo). Agradeço também ao Doutor Rui Martins por me ter deixado publicar a minha quase história d’"A minha quase morte”.
Orlando Carvalho

Meio século dedicado às latas

Regadores, candeias, baldes, cântaros, pulverizadores ou enxofradeiras são alguns dos objectos que fazem parte da colecção de Sabino Cordeiro, o último latoeiro de Seixo de Ansiães, no concelho de Carrazeda de Ansiães.
Tinha 17 anos quando começou a aprender a arte que lhe viria a garantir o sustento da família com o irmão e, desde então, nunca mais parou. Moldar a lata é a paixão de Sabino Cordeiro, que nunca se imaginou a fazer outros trabalhos. Os tempos mudaram, os objectos procurados pelos clientes são outros e o latoeiro viu-se obrigado a criar de acordo com as solicitações. Se antes eram os regadores, os cântaros e os baldes os artefactos que tinham mais saída, hoje a maioria das pessoas procura miniaturas que servem para decorar habitações modernas com traços antigos.
Antigamente, os baldes e os baldões, que serviam para retirar a água dos poços, tinham muita saída. Agora pedem-me muitas candeias em miniatura, a azeite e a petróleo”, conta o artista.
Os objectos funcionais são menos procurados, mas ainda há quem procure artefactos essenciais para realizar algumas tarefas, como é o caso das “funilas” de grandes dimensões, que servem para encher alheiras ou chouriças em quantidade. “Também conserto pulverizadores e ainda há quem me peça para fazer enxofradeiras, para deitar o enxofre nas vinhas”, acrescenta Sabino Cordeiro.
Há objectos para todos os gostos. Na colecção deste latoeiro encontram-se inúmeros artefactos que remontam a tempos longínquos ou da era moderna. Sabino mostra, com orgulho, as peças que foi executando ao longo dos anos e que faz questão de guardar numa estante que construiu numa divisão da sua casa. Apanha frutas, queijeiras, lata dos pastores ou apanha frangos são alguns dos nomes que vai pronunciando, ao mesmo tempo que realça a perfeição das peças que moldou com as suas próprias mãos.
Latoeiro do Seixo divide o tempo entre os trabalhos na oficina, as feiras de artesanato e as demonstrações da arte para os estudantesNa oficina, o latoeiro explica os passos que são dados para transformar uma chapa de zinco num objecto funcional. “As candeias são as peças que custam mais a fazer, porque são muito trabalhadas”, desabafa.
Depois de cortar a chapa com umas tesouras, Sabino, com as mãos calejadas, recorre à máquina de funileiro para “costurar” o metal, fazendo os últimos retoques na safra ou bigorna.É um trabalho minucioso, que vai concretizando sem pressas e sem dar pelo tempo passar. “Agora estou reformado, vou fazendo alguma coisa porque gosto da minha arte. Mas antes dedicava-me a isto a tempo inteiro”, conta.
O tempo de Sabino é dividido entre a oficina, as feiras de artesanato e as acções de formação para estudantes nas escolas de Carrazeda de Ansiães. “Costumo ir para Gondomar, Lamego, Petisqueira, Vila Real e outros certames no distrito de Bragança”, enaltece.
Nas escolas, o latoeiro faz demonstrações para os mais novos, que até acham graça, mas não se mostram interessados em aprender a arte. “Também sou professor, mas nunca tive nenhum aprendiz na minha oficina. Os jovens não querem trabalhar”, lamenta.
Aos 70 anos, Sabino Cordeiro garante que vai dar continuidade ao seu ofício enquanto tiver forças, mas é com angústia que afirma que é o último latoeiro do Seixo. “Havia cá uns quatro ou cinco e só fiquei eu”, concluiu o latoeiro. Jornal Nordeste
Fotos Rui Lopes/Bruno Faustino (Ansiães Aventura)

Louçã apresenta candidato a Carrazeda

José Alegre Mesquita, é o candidato do Bloco de Esquerda à câmara de Carrazeda de Ansiães.
A candidatura foi apresentada este sábado e contou com a presença do líder do partido.
O Bloco de Esquerda está a apresentar pela primeira vez listas ás autárquicas em vários concelhos do distrito.
Francisco Louçã salientou que se trata de um reforço de intervenção em Trás-os-Montes.
Nestas eleições municipais, o Bloco de Esquerda apresenta muitas listas em Trás-os-Montes, que representa o reforço da nossa intervenção numa terra que tem sido um dos lugares da exclusão e da desigualdade” afirma.
Francisco Louçã acrescenta que esta candidatura surge para pôr em causa os poderes instalados.
Em Carrazeda nós juntamos algumas das melhores pessoas que trazem a vontade de responder às dificuldades da terra pois é preciso que na câmara e na assembleia haja representantes da luta pela justiça na economia” refere o líder bloquista.
O candidato do Bloco de Esquerda à câmara de Carrazeda da Ansiães adianta algumas das linhas do programa eleitoral. “Queremos criar um centro em que os jovens possam criar a sua empresa e devido à construção o IC5 queremos transformar Carrazeda numa estrutura rodoviária do distrito pensando num terminal de autocarros, colocar a câmara aos serviço das populações sobretudo no apoio à terceira idade” adianta.
José Alegre Mesquita revela que esta candidatura tem como objectivo eleger um lugar na vereação. “Temos a certeza que vamos eleger deputados na assembleia municipal e também temos o objectivo de eleger um vereador na câmara” refere, considerando que o facto de haver muitas candidaturas no concelho “pode ajudar a isso por serem caras conhecidas que têm estado à frente do concelho e a quem têm feito muito mal”.
José Alegre Mesquita, tem 50 anos e é professor do primeiro ciclo do ensino básico, em Carrazeda de Ansiães.
Brigantia

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Taça Regional de XCO - Vila Flor - 5 de Julho

Inscrições
Por email : cc.vilaflor@gmail.com
Estarão em disputa os escalões de infantis, juvenis, cadetes, juniores, elite/sub 23, veteranos A, veteranos B e veteranos C, em masculinos.
Infantis, juvenis, cadetes, juniores, elite/sub 23 e veteranos, no sector feminino.
Valor da Inscrição:
Atletas com licença desportiva de competição - Gratuita
Restantes Atletas 3.50€

Agricultores saem à rua na maior "manif" de sempre

Milhares de agricultores de todo o país protestaram, esta quinta-feira, em Mirandela, contra as políticas do Governo para a agricultura, sector que dizem estar moribundo e para o qual o ministro Jaime Silva "não olha há quatro anos".
Milhares de agricultores anónimos e dirigentes associativos de Bragança, do Baixo Mondego, do Ribatejo, do Alentejo e de outras zonas do país, acorreram, ontem, a Mirandela, a uma manifestação de protesto, que foi considerada "histórica", por ser a maior de sempre.
O protesto organizado pela CAP (Confederação da Agricultura Portuguesa) serviu para mostrar o descontentamento contra a política do Governo para o sector, nomeadamente, contra o ministro da tutela, Jaime Silva. As medidas mais polémicas estão relacionadas com o corte às ajudas à electricidade verde, falta de ajudas às intempéries, baixos preços do azeite, do vinho, do leite e de muitos outros produtos, e elevados custos de produção.
O "bombo da festa" foi mesmo Jaime Silva, cujo cartaz com a sua figura acabou destruído à paulada depois de uma tentativa gorada para o incendiar. "Este foi o pior ministro da Agricultura de sempre", queixavam-se os lavradores.
O descontentamento levou o presidente da CAP, João Machado, a lançar um repto aos agricultores para que votem contra o actual primeiro-ministro, José Sócrates, e contra Jaime Silva.
João Machado esclareceu que não se trata de um voto contra o PS, mas contra as políticas do Executivo. "Os agricultores devem mostrar o que lhes vai na alma", disse. Ora, os estados de alma dos agricultores, que são "mais rijos" do que se pensa, e resistem "a quatro anos de política adversa", devem dar força para não se absterem nas Legislativas. "É o voto que lhe permite mudar as coisas", recomendou o dirigente agrícola. Votar bem, para o presidente da CAP "é, claramente, votar em qualquer outro partido".
Apesar da crise generalizada que atravessa a agricultura portuguesa, os lavradores quiseram mostrar que "não se rendem" nem estão "derrotados", e já prometeram nova manifestação para meados do mês, no Minho.
Para ultrapassar a crise, são reclamadas medidas de apoio. "As próprias linhas de crédito criadas para a agricultura excluíam a agricultura", sustentou o responsável, que lamentou que o actual quadro comunitário não tenha um projecto financiado. JN

Manuel Pinho envia gesto polémico na AR


quinta-feira, 2 de julho de 2009

Urgência médico cirúrgica vai encerrar em Mirandela

Já estava previsto mas parece que se vai concretizar antes do tempo. Mirandela vai ficar sem a urgência médico cirúrgica já a partir de meados de Setembro. O encerramento desta valência no Hospital de Mirandela estava previsto para quando a Auto-Estrada Transmontana estivesse concluída, mas o cenário poderá ser diferente, uma vez que o arranque da obra estruturante já leva cerca de sete meses de atraso.Se tal acontecer não será cumprido o protocolo assinado entre a autarquia e o Ministério Saúde. Com a saída desta valência ficará a penas a funcionar a cirurgia de ambulatório, o que se reflecte numa cada vez maior diminuição da importância do hospital de Mirandela dentro da região transmontana.Embora a administração do Centro Hospitalar do Nordeste Transmontano (CHNE) negue o encerramento da urgência médico cirúrgica, reconhece que os serviços de cirurgia vão ser reorganizados nos hospitais que constituem o CHNE. NN

PSD promete mudar carreira e avaliação dos professores

A presidente do PSD prometeu hoje mudar os estatutos do aluno e da carreira docente, o sistema de avaliação dos professores e aliviar a carga burocrática a que estão sujeitos, caso vença as eleições legislativas.
Esses quatro compromissos farão parte do programa eleitoral social-democrata, anunciou Manuela Ferreira Leite em declarações aos jornalistas, em Lisboa, a meio de uma reunião sobre educação enquadrada no Fórum Portugal de Verdade do PSD.
"No nosso programa não poderemos deixar de contemplar a alteração destes quatro aspectos que estão a paralisar o sistema, estão a torná-lo inviável, desmotivador da acção dos professores", declarou
. Expresso

O que se disse... Nuno Fernandes Thomaz

«Portugal é, hoje em dia, o reino da impunidade, com leis a mais e justiça a menos.»
Nuno Fernandes Thomaz, “Diário Económico

Uma pequena democracia...


Público