segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Daqui e dali... João Lopes de Matos

O Monte da Senhora da Costa

A sudoeste da freguesia do Seixo situa-se o monte denominado da Senhora da Costa. Actualmente, existe lá uma capela de cimento, já moderna, onde os santos e, em especial, a Senhora da Costa se encontram bem instalados. Tem já todas as condições modernas: tem luz eléctrica, o telhado é sólido, impenetrável, as paredes quase indestrutíveis. A vida decorre lá dentro confortavelmente.
Mas parece que agora pensam em derrubar a capela e colocar uma nova numa redoma de vidro, que terá características verdadeiramente futuristas.
Não sei se será boa ou não a obra em projecto. É possível que sim e que atraia muitos turistas a vê-la, já que será de concepção quase etérea.
Parece que será um lugar propício a um novo milagre do sol e até da lua.
Mas não é nada disto que me ocupa o pensamento. Pelo contrário.
O que eu tenho agora em mente é a Senhora da Costa da minha juventude: pobre, escura, granítica, frágil, quase em derrocada.
Os santos, nessa altura, viviam como os seres humanos do mesmo tempo: em casa encostada às fragas, feita de pedra solta, quase a cair, otelhado a deixar passar o frio e a água.
Os santos estavam encolhidos nos seus nichos como as pessoas encolhidas junto às lareiras. Tanto as pessoas como os santos eram acima de tudo humanos. Sofriam uns e outros com as intempéries: a neve, o vento, o granizo.
Nessas alturas, passadas as tempestades, todos temíamos pela situação dos santos. Por caminho íngreme, íamos logo ver o que se passava lá em cima. E o que víamos era os santos a tiritar, molhados, frios, ansiosos pela nossa chegada para à volta da lareira nos aquecermos em conjunto.
E narrávamos reciprocamente os medos que todos sentíamos e comungávamos a alegria de estarmos juntos.
Bem sei que tudo era muito pobre.
Mas não havia mais nada além da humanidade: dos homens e dos santos.
A propósito: - Miguel Torga gostaria de ter vivido esta experiência.
.
João Lopes de Matos

15 comentários:

Anónimo disse...

É de todo importante que as pessoas se interessem localmente pela preservação do seu património público construído, nomeadamente o religioso. Há, como se sabe, Instituições do Estado que disponibilizam ajudas substanciais tendo esse fim em vista. Pena é que ainda haja aldeias onde as pessoas se alheiam grandemente dessa nobre tarefa que é a reconstrução do seu património.
Outras, infelizmente, numa clara falta de respeito pelos seus antepassados, não apenas se divorciam da reconstrução, como ainda por cima desvirtuam ou destroem esse mesmo legado geracional.Como eu gostava que na minha terra essa excelência estivesse presente!
Parabens a Seixo de Ansiães.
Carlos Fernandes - Pombal

Anónimo disse...

Mas na sua terra a Igreja também foi melhorada Senhor Carlos Fernandes.E até está bonita!
Logo houve boas obras no património local do Pombal.
ANÓNIMO POMBAL.

Anónimo disse...

E se falasse-mos da Srª da Graça?
O que tem feito a Junta de Freguesia para a realização das obras?

Anónimo disse

Hélder Rodrigues disse...

"... mas não havia mais nada além da humanidade...". Caro dr. João L. Matos, será preciso criá-la (a humanidade - como dizia o grande poeta "...criar humanidade...") ou nós, tendo consciência da raça que somos, atiramo-la, não raras vezes, para a sarjeta da vaidade, do estereótipo estéril e de outros "invólucros" oníricos que vamos alimentando alegremente se, por momentos, nos distraímos da realidade ?!...

Respeitosos cumprimentos.

h. r.

Falcão Peregrino disse...

Amigo Anónimo: (horas de comentário 21:56)
Respeito o seu comentário, mas deixe que lhe diga que cada local tem o seu valor e a Senhora da Graça tem o seu, ou diria mesmo o «Céu». Pois não sei se sabe, mas está Santa Milagrosa é a que está mais próxima do Céu, no que diz respeito à altitude a que está localizada.
Para os mais impacientes, sôfregos ou mesmo ávidos, não se impacientem! Tenham calma! O arranjo do Ermo da Senhora da Graça está no bom caminho, talvez para mal de muita gente!?
È fácil criticar... Que movimentos Vª Exª já realizou para bem deste local? Somente carregar na Junta de Freguesia e na Câmara, Porque não? Ainda bem que estas instituições são o alívio da sua bílis.
Tenha um Bom Dia e melhores comentários.
Falcão Peregrino.

vitorino ventura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vitorino ventura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vitorino ventura disse...

Miguel Torga viveu mesmo essa experiência. A sua religião era a da Terra, não a do céu...

No post "Miguel Torga, orfeu do (nosso) deserto" referi aquela história de duas aldeias, cujos padres marcaram a procissão à mesma santa, no mesmo dia (mesma hora) e eis que chegados ao lugar da adoração, os braços dos santos e os pés de cristo, até as lágrimas de Maria serviram para se mocarem uns aos outros!

Na maior fraternidade, tal onda de calor humano se fazia... Que, já o disse, o reino de Trás-os-Montes era maravilhoso, até no que lhe era cru...delíssimo.

Tudo porque não havia aquecimento central... E os animais viviam por baixo das casas para as iluminarem de calor. Quem os não tinha, abraçava os santos...

E eram os santos à sua/nossa imagem: de selvagens civilizados.

vitorino almeida ventura

Anónimo disse...

Há pessoas que sem querer até chamam às coisas os nomes certos,
a ver:
Ermo: " s.m. lugar despovoado, deserto, descampado, solidão ..."
in dicionários editora 9ª edição
... classifica muito bem a Srª da Graça...

Falcão Peregrino disse...

Consultado o dicionário On-line «PRIBERAM» pude constatar que Vª Ex.ª só leu os adjectivos que lhe serviam como critica de Maldizer
Saiba que "Ermo", também é: "Silencioso, Sossegado", "LUGAR CONSAGRADO À ORAÇÃO", bem como meditação e confissão da má-língua que Vª Exª anda por aqui a utilizar. Tenha paciência… (amigo) anónimo, RESPEITE o que há de mais sagrado nesse local.
Por um voo mais alto:
Falcão Peregrino.

Anónimo disse...

Eu estava à espera que a sua opinião fosse no sentido de esclarecer, uma vez que me parece ser um porta - voz do poder politico local no blog, porque é que a Srª da Graça até esta data e sabe-se lá quando será, nunca foi alvo de melhoramentos e a promessa da pavimentação da via de acesso nunca ter sido cumprida desde há anos.
EXPLIQUE!

Quanto a dicionários eu só tenho o que citei e fazer buscas na net ainda não é o meu forte.

Falcão Peregrino disse...

(Amigo anónimo de 3 de Setembro pelas 11:47):
Pura e simplesmente a minha opinião. Saiba Vª Ex.ª que não sirvo de porta-voz seja de quem for. Tenho opinião própria e vontade de trabalhar, coisa que Vª Exª deve desconhecer, ou são termos que não constam no seu ilustre dicionário.
Tinha mais para dizer, mas como não é meu apanágio alimentar polémicas ou blasfémia, vou procurar outros ares, porque o seu está completamente viciado.
Por um voo mais alto
Falcão Peregrino.

Anónimo disse...

Tudo espremido dá Laranja com penas!

João Lopes de Matos disse...

Laranja com penas? Não entendo. Explique-se, homem.Aliás, dos comentários aqui feitos falou-se de tudo menos daquilo que eu escrevi.

João Lopes de Matos disse...

Salvo duas excepções.