domingo, 26 de agosto de 2007

Daqui e dali... Carlos Fernandes

Andava eu a passear nas principais artérias da Vila de Carrazeda quando lá ao fundo ouvi um rufar de bombos e tarolas. Aproximei-me e tive a oportunidade de presenciar um ensaio, nocturno e ao ar livre, do nosso Grupo Tradicional: ZINGAROS de CARRAZEDA. Foi simplesmente magnífico, espectacular ouvir e ver crianças de tenra idade a manusear as macetas daqueles instrumentos, com coreografia à mistura.
Um grupo composto de aproximadamente vinte e quatro elementos que orientados por um filho da terra conseguiram proporcionar a duas dezenas de pessoas que se aproximaram, tal como eu, uma meia hora de boa música Tradicional Popular.
Vi, gostei e apoio iniciativas deste género. - Nem só o que é de fora é bom.
Os Zíngaros de Carrazeda estão de PARABÉNS.
Boas Rufadas.
Carlos Fernandes

5 comentários:

Nuno Teixeira disse...

A queda das velhas folhas proporcionou a origem de novas folhas.

Falcão Peregrino disse...

Boa juventude!
Continuai a marcar diferença no seio daqueles que padecem de sonambulismo mórbido do sedentarismo e vivem na penumbra da cultura, dos mais "incultos".
Mostrai como se pode ocupar o tempo livre utilizando a cultura e raízes da nossa terra.
Somos um povo de RAÍZES e como tal, temos de tratar da semente que outros lançaram à terra, para que de futuro também os vosso filhos possam saciar a sua fome.
"Boas Rufadas".( Palavras do meu amigo e ilustre C. F.)
Por um Voo Mais Alto e Sempre Atento.
Falcão Peregrino.

vitorino ventura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vitorino ventura disse...

É bom que haja continuidade para o projecto mais estrutural do concelho, pela sua alma.

A melhor homenagem que se poderia fazer ao grande líder senhor Joaquim (paz da Isaura), ao senhor José Joaquim Barbosa, ao senhor Américo de Sousa, ao senhor Artur, ao senhor Figueiredo, ao senhor Américo Francês, etc. etc. não era um monumento para os lembrar, mas

exactamente continuarem o seu projecto... Popular, no verdadeiro sentido, de espontaneidade e forma de vida. Não eram os melhores músicos do mundo, nem isso interessava, mas como muitos grupos do punk/rock, estou a lembrar-me dos Ramones, a sua música havia mais vida do que a de muitos músicos virtuosos.

Como se diz hoje, tinham onda. E todos os filhos e netos e amigos que continuam o legado de Paz da Isaura carregam também muito da História passada... Esperando-se que ao futuro de Carrazeda a transportem, num reenvio permanente às origens.

vitorino almeida ventura

Anónimo disse...

Acho que o verdadeiro apoio, tarda.
No entanto, quere-me parecer também que a organização administrativa do Grupo, deve primar pelo rigor, deve mostrar-se credível, em respeito não só pelos actuais intervenientes, mas também honrando os que desinteressadamente serviram esta causa.