domingo, 24 de agosto de 2008

Linha do Tua: jovens homenageiam vítimas mortais e entregam parafusos "soltos" da linha à CP

Cerca de 40 jovens entregam hoje à CP os "gigantescos parafusos" que alguns deles recolherem ou retiraram da Linha do Tua, entre a estação da Brunheda e o local onde o Metro de Mirandela descarrilou, na sexta-feira, fazendo uma vítima mortal.
Rita Manuela faz parte de um grupo de cerca de 40 jovens entre os 15 e 17 anos que vão homenagear esta tarde as quatro vítimas mortais dos acidentes da Linha do Tua, no espaço de um ano e meio, e alertar para o que dizem ser a "falta de manutenção e de cuidado com a linha".
Uma composição do Metro de Mirandela descarrilou sexta-feira a cerca de um quilómetro da estação da Brunheda, concelho de Carrazeda de Ansiães, provocando a morte a uma mulher e fazendo 43 feridos, entre os 47 ocupantes.
O acidente mais grave daquela linha ocorreu em Fevereiro de 2007, tendo provocado a morte a três pessoas.

Em declarações à Lusa, Rita Manuela referiu que, com um grupo de amigos, recolheu esta manhã, à mão, "muitos parafusos" da linha, que serão hoje entregues à CP, na Estação do Tua.
"Com as nossas próprias mãos conseguimos desapertar os parafusos. Como é possível? Alguns estavam completamente soltos", salientou a jovem.
Estes parafusos "soltos" são, para o grupo de jovens, o "símbolo da insegurança" e da "falta de manutenção e de cuidado" que há na linha ferroviária, que liga as estações de Mirandela e do Tua.
A secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, que se deslocou ao local do acidente na sexta-feira, referiu que a Refer faz a manutenção da linha de 15 em 15 dias para analisar o seu estado de conservação.
Na mesma altura, o presidente da CP, Cardoso dos Reis, disse que a composição acidentada tinha sido vistoriada nessa mesma semana e que não havia indicação de que tenham sido problemas mecânicos a causar o acidente.
É precisamente na estação do Tua que os jovens se vão concentrar às 16h00 para entregarem os parafusos e realizarem uma homenagem às vítimas mortais desta linha, que é considerada uma das mais belas em vias estreitas.
Segundo Rita Manuela, o grupo é constituído por jovens transmontanos e do Porto que se juntaram espontaneamente para esta iniciativa. A linha ferroviária ficará encerrada entre as estações do Cachão e do Tua até que sejam conhecidos os resultados dos inquéritos que já estão a decorrer e cujos resultados preliminares, segundo o ministro dos Transportes, Mário Lino, deverão ser conhecidos já na terça-feira. A CP disponibiliza transporte rodoviário alternativo diário, através de dois táxis de nove lugares cada um, que farão o trajecto entre Mirandela e o Tua. A Linha do Tua sofreu quatro acidentes no último ano e meio e provocou quatro mortos. Público

Foto: Aníbal Gonçalves, http://alinhaetua.blogspot.com/

3 comentários:

João disse...

Neste artigo já só se fala em parafusos soltos e não em sabotagem.Manutenção desleixada,portanto.Até pode ser.
JLM

Anónimo disse...

A manutenção é feita à sorte, a responsabilidade não é de quem a faz mas sim de quem a fiscaliza, ganha o dinheiro à sombra, é os engenheiros que temos...

Anónimo disse...

Os engenheiros so de nome... Lamentavel. Deviam ter vergonha!!! Depois como é q este país vai pa frente??? N pode... é so gente preguiçosa!!! A manutenção pelos vistos é bem feita e kem fiscaliza, faz um trabalho ainda melhor.
A estes srs. digo... e se fossem os vossos a precisar da linha em q muitos viajam???
Enfim, lamemtavel,,, so espero q mais nda aconteça. Tenham vergonha, cambada de irresponsaveis.