quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Câmara de Carrazeda de Ansiães penalizada pelo governo

A Câmara de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança, vai ter a dedução do Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF) suspensa por não ter cumprido o esforço mínimo na redução de endividamento. É uma das trinta autarquias que o governo decidiu penalizar, e a única nessa situação em Trás-os-Montes.

Ao todo são 59, os municípios no país que em 2007 excederam os limites de endividamento. O governo pretendia uma redução de 10% nas dívidas municipais nos concelhos com excesso de gastos.
Carrazeda de Ansiães é reincidente, pois já relativamente às contas de 2006, tinha sido penalizada. Eugénio de Castro, o autarca local, justifica a situação com o incumprimento do governo no pagamento de contratos-programa de empreitadas realizadas no concelho.
O autarca admite que a não dedução do FEF tem um peso significativo para o funcionamento das finanças municipais, mas garante que vai manter a execução das obras no concelho.
O governo notificou as câmaras no sentido de confirmarem ou corrigirem os dados apurados, para que em Setembro haja uma decisão sobre os municípios que vão ser penalizados no FEF de 2008. RBA

6 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

É imensa a vontade de escrever sobre este tema, mas para evitar "remoções" do Ex.mo Administrador, fiquemos por aqui!

Anónimo disse...

concordo com o ultimo anonimo

Anónimo disse...

Concordo com os últimos anónimos.

RuiCMartins disse...

Se não conseguirem dissertar sobre o assunto sem caluniar ou insultar gratuita e anonimamente, eu também concordo com todos estes anónimos!

Anónimo disse...

caro dr rui Martins em resposta ao seu comentário julgo que não é caluniar ou insultar quando alguem denuncia o que é uma vergonha,que um presidente ou gestor autarquico , depois de um almoço num restaurante da nossa praça vem para a esplanada toda a tarde inclusive abandonando somente o lugar quando os seviços já estão encerrados se isto é caluniar ou insultar vou ali e já venho... ou será de alguem que quer e deseja que não se faça de uma coisa que é de todos um bem pessoal, se os visados querem fazer o que lhes apetece o mundo empresarial está à espera D'ELES, agora respeitem quem com os seus impostos lhe paga o vencimento para NADA