sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Feira da Maçã, Vinho e Azeite de 29 a 31 de Agosto

A Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães divulgou hoje o cartaz da XIII edição da Feira da Maçã, Vinho e Azeite. O certame tem uma duração de apenas três dias. Começa na sexta-feira, dia 29 de Agosto e termina no Domingo, dia 31, feriado municipal. Os destaques vão para a tenda que privilegia os produtos que dão o nome ao evento, mas também o artesanato e o comércio da terra. Este ano apenas há um espectáculo musical por noite. Na sexta-feira actuam os Blasted Mechanism; no sábado, os Anjos; e no Domingo, Jorge Ferreira. O espaço reservado para as tasquinhas também vai ser animado todos os dias por grupos de cantares. Refira-se ainda que, no Domingo, haverá a habitual procissão com os padroeiros do concelho. Rádio Ansiães/Eduardo Pinto

19 comentários:

Anónimo disse...

Assim está bem, o Concelho a empobrecer alegremente!!!!!

Anónimo disse...

Fico pasmada e interogo-me:
Como é possível que uma Câmara endividada como a nossa se dá ao luxo de, em grande, levar a efeito uma festa ou feira, com gastos em aluguer de pavilhões, música e fogo de artifício, de milhares e milhares de contos (ainda falo em contos)?
Isto é inacreditável!
Quem vier a seguir que feche a porta!
Tanta vaidade desmedida de uma ou outra "bonequita" Municipal que conseguem dar a volta à mioleira de um já há muito, comandante ausente!
Só irresponsabilidade!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
The Mystery Artist disse...

Atendendo às características próprias da Feira da Maçã e do Vinho não sei se os Blasted se enquadram neste tipo de certame, mas de uma coisa tenho a certeza, a relação espectáculo/qualidade está garantida.
Boa banda!

MARK

Anónimo disse...

Ó senhor Mark, então o que é que se enquadra neste tipo de certame? Só a pimbalhada? Não acha importante mostrar coisas diferentes para quem não tem outros meios?
Ateia

The Mystery Artist disse...

Caro Ateia, acho importantíssimo "mostrar coisas diferentes para quem não tem outros meios", falta saber é se o público alvo de tal certame, está preparado para receber o tipo de sonoridade e espectáculo que os Blasted têm para oferecer.
Conhece a banda e a sua musicalidade? Conhece o tipo de espectáculo que a banda oferece em cada concerto?
Penso que os Blasted se enquadrariam melhor num Dia da Juventude, por exemplo.
Mas, repito, independentemente dessa questão, foi uma excelente escolha!
Caro Ateia, "pimbalhada" eu dispenso....

MARK

Anónimo disse...

Ai, ai, srª Ateia, anda distraída...
Blasted é para acompanhar com umas cervejolas, caipirinhas e umas ervinhas ... de hortelã, claro,
ou
um chocolatezinho sem ser da Nestlé...
Vai ser bué de fixe...

Baril

Anónimo disse...

Qual é o público alvo de tal certame? De certeza que não é o das ervinhas nem do chocolatinho de que fala o Baril. Para apreciar a música ou um espectáculo diferente, não é preciso ser doutor ou estar drógado, ou é?
Ateia

Anónimo disse...

Proponho antes que bebam cada um uma grade de cerveja ou um garrafão dasquele do Tua. É mais de acordo com a tradição. Depois disso, está garantida a animação.

The Mystery Artist disse...

"Para apreciar a música ou um espectáculo diferente, não é preciso ser doutor ou estar drógado, ou é?"
Caro (a) Ateia, não, felizmente ainda não é!
Mas numa sociedade cada vez mais do "mastiga e deita fora", às vezes é preciso que as pessoas se predisponham a procurar, a pesquisar, a estar, a saber ouvir, a tentar perceber.
Ora, os Blasted têm uma sonoridade e uma forma de estar em palco muito própria, que pode agradar apenas a "gregos", quando o objectivo do cartaz (pelo que vi) é agradar também a "troianos".
Esclarecidos? Dê uma vista de olhos pelo youtube e verá do que lhe falo. Já agora, bom espectáculo.
Tenho dito.

MARK

Anónimo disse...

Doutor Mark,
logo por número um, o seu raciocínio,por vezes, querendo ostentar humildade carrega-se de uma grande arrogância. Desconfia da capacidade dos outros gostarem ou perceberem da qualidade de uma música e manda-os para o you tube, como se todos fossem ingnorantes e nunca tivessem ouvido falar, quanto mais visto os Blasted Mechanism. Ou então aos que possam gostar chama-nos gregos. O ano passado havia muito menos jovens gregos (que eu conheça) que gostassem da sua música (muito menos) e acho muito bem que tocasse na feira porque é papel da câmara apoiar os projectos locais, ou não acha? O facto de o cartaz ter Blasted e depois ter Anjos e Jorge Ferreira é que faz com que agrade a gregos e troianos e não só ter Anjos, Toy, J. Ferreira, Emanuel, Marco Paulo, João Pedro Pais, Pólo Norte. Se fosse só com estes, a mim e a outros jovens, a que o doutor chama gregos, é que não agradava mesmo.
J. C.

Anónimo disse...

J.C. acertou em cheio; desde os Clã que este senhor precisava de ouvir isto e cair abaixo do pedestal; fala sempre como se os outros fossem os parvus que ele julga.
laranjinha

Anónimo disse...

Eiii, oh Mark, ainda não percebeu que este povinho a maioria das vezes se esconde atrás dos comments dos blogs para do nada tentar arranjar conflitos e descarregar as suas frustrações?
Não caia na ratoeira e faça como eu, deixe-os a falar sózinhos...
Zyon

Anónimo disse...

Ficamos a saber que o senhor zyon não se esconde atrás dos comments dos blogs. Eiii, mas para quem diz que se remete ao silêncio, não acha que oito linhas são de mais? Também não percebeu nada. Ninguém está contra o senhor Mark, só contra o tom de quem desconfia de que os outros tenham capacidade de entendimento. E isso è que chateia. Ninguém à partida deve presumir que os outros nunca ou viram nada. E um grupo musicalmente trivial, a não ser o 1º EP e o 1º LP, como são os Blasted, só estarem ao alcance dos eleitos, como ele, Mark.
J. C.

The Mystery Artist disse...

Caro J.C.,

Em primeiro lugar, devo dizer-lhe que a ideia que sempre tive deste blog, é a de um espaço que visa dar a conhecer um pouco, as actividades e eventos ligados ao nosso concelho, à nossa terra, permitindo a quem quiser, interagir e deixar opinião sobre essas mesmas actividades eventos.
Não serve para alimentar quezílias pessoais, nem para enviar recadinhos irónicos ou sarcásticos a A, B ou C, embora infelizmente nos últimos tempos, isso comece a tornar-se uma situação recorrente.
Por isso, se o J.C. tem algo de pessoal a dizer-me, uma vez que tem a vantagem de saber quem sou, seja um “homenzinho” faça-o frente a frente, não se esconda atrás de um teclado.

Depois, noto no seu comentário, que não me conhece pessoalmente, caso contrário, saberia que prescindo do cliché bem português de “Doutor”, como cirurgicamente, fez questão de usar.

Ademais, sobre os seus comentários, lamento profundamente que não tenha entendido ou não tenha querido entender o teor dos meus comentários anteriores, assim como lamento que ao analisar a minha opinião (que não passou disso mesmo, uma opinião!), tenha caído na tentação primária de em primeiro lugar, me atacar pessoalmente e só depois emitir a sua opinião, que por sinal, até levanta algumas questões que considero pertinentes e que teria gosto em discutir consigo, mas que, atendendo à sua conduta inicial, apenas me deixa margem de manobra para defender o meu nome e nada mais.

O J.C. na primeira frase do seu primeiro comentário faz afirmações relativas à minha pessoa como se me conhecesse o suficiente para isso. Já vimos que não! O facto de saber quem eu sou, duvido que seja o suficiente para fazer tais declarações, na minha opinião completamente desorientadas e vazias de sentido. Isto apesar das palavras utilizadas se encaixarem de forma harmoniosa e soarem bem.

Considero inadmissível a forma leviana como o J.C. tenta deturpar os meus comentários, a começar pela expressão “gregos e troianos” que usei, e da qual o J.C. começa por fazer o seu cavalo de batalha.
Até porque, seria no mínimo, um erro primário da minha parte, querer utilizar tal expressão com o objectivo de lhe atribuir um sentido pejorativo como o J.C. insiste em querer fazer passar, na medida em que eu prevejo ser um dos tais “gregos” a estar presentes no recinto para assistir ao espectáculo na próxima sexta-feira.

Por outro lado, querer generalizar a todo vasto universo que acompanha regularmente este espaço, o convite que enderecei ao (a) Ateia para se dirigir ao youtube, é querer transformar aquilo que escrevi (direccionado apenas a uma pessoa, num contexto específico), naquilo que não quis dizer. Seria querer colocar-me em bicos de pés.
E nesse caso, caro J.C., mais do que ingenuidade, seria ignorância da minha parte ousar pensar, sequer dessa forma, quanto mais escrevê-lo…

Na altura, limitei-me a comentar com o (a) Ateia o tipo de banda de que falávamos, e como me pareceu que não a conhecia, indiquei-lhe apenas e só um local onde a poderia conhecer.
Sem pretensiosismo, sem vaidades, sem arrogâncias.

Se o (a) Ateia me entendeu mal, só a ele tenho de pedir desculpas. Contudo, sublinho, não foi essa a minha intenção.

No fundo, o que sobressai dos seus comentários, caro J.C., é uma procura insistente de um exercício de distorção, grosseiro e desleal da opinião que aqui emiti.

Aliás, a capacidade do J.C. em aferir as minhas qualidades ou defeitos, pela simples leitura dos 3 comentários anteriores, é elucidativa da má-fé que usou, quando decidiu mudar o centro do tema que estava em discussão: cartaz da Feira da Maçã e do Vinho, para a falta de genuinidade dos meus comentários.

Se quisesse, podia fazer o mesmo sobre a sua pessoa, já pensou nisso?
Podia esconder-me atrás do ecrã, mudar o nome, quiçá adoptar umas siglas também, e dar uso ao teclado para tecer um conjunto de considerações sobre si, desrespeitando-o e não dar a cara.

Mas a questão é: será essa a conduta a seguir?

Lamento, mas não fui educado dessa forma. Desde cedo me ensinaram a emitir a minha opinião sem ofender o outro, a assumir aquilo que sou, bem como o que penso e digo, e, talvez mais importante que isso, a responder pelos meus actos.

Tenho certamente muitos defeitos e terei algumas virtudes, como o J.C. terá, mas não tenho duas caras, por isso não conte comigo para esse desafio.
Talvez por situações como esta, é que muitos se escusem cada vez mais a deixar os seus comentários neste espaço…

MARK

The Mystery Artist disse...

Caro Laranjinha,

Lamento tê-lo desapontado durante um ano inteiro, sem lhe ter dado a oportunidade de desenterrar o assunto “Clã” e de deitar cá para fora esse "desabafo".
De certa forma, sinto-me mais satisfeito por vê-lo agora mais aliviado.
Contudo, deixe-me dar-lhe um conselho:
Procure sempre informar-se bem, antes de falar sobre temas de que, pelos vistos, nada sabe.
E mesmo que conheça alguma coisa, secalhar, só conhecerá um lado da questão. Ora, antes de opinar deveria ter em conta que, em qualquer assunto, nunca existe apenas um só lado.
Assim, se não encontrar por aí ninguém que lhe explique melhor esse caricato episódio, saberá com certeza onde me encontrar, e aí terei todo o gosto em partilhar consigo algumas coisas sobre o dito assunto, ao mesmo tempo que terá a oportunidade de se aperceber, que não vivo em nenhum pedestal.

MARK

Anónimo disse...

Caro «grego» Mark, que também é da minha tribo; só três notas: em primeiro, admiro o facto de você participar numa banda e tocar por prazer; em segundo, e não só aqui mas no affaire Clã, que o laranjinha convocou, não sou o único a achar que você parte do princípio que... ... ... E depois tem de pedir desculpa aos Clã e a Ateia, por supor que... ... ... Neste caso, que ela não conhecia os Blasted Mechanism!!! Supor que os outros são ignorantes não é bom numa situação de comunicação e pode ser também por isso que às vezes a conversa descamba e não por se usar um pseudónimo. E como viu, isso foi um reparo, não só meu, mas de muitas pessoas nos dois affaires. Mas ainda bem que já tomou isso em consideração, quando pediu desculpa a Ateia, se... se... se... Mas pediu. Tudo bem. Bom espectáculo.
J. C.

Anónimo disse...

«Após uma breve conversa com os CLÃ, dos esclarecimentos de que precisávamos e após o pedido de desculpas pessoal por parte dos THE MYSYERY ARTIST à banda, aqui fica o mesmo pedido, agora de uma forma mais formal, não só aos CLÃ como a todo o staff técnico dos mesmos neste espaço. (...)»
mARK
Não foi isto há um ano, este pedido de desculpas que você postou aqui? Ou também tenho de perguntar como você sobre a Manuela se foi mesmo ela que lho exigiu?
Laranjinha

Anónimo disse...

Confesso q dps de ler este último comentário do Laranjinha, fiquei curiosa para ver o q se escondia para lá das reticências, com q o Laranjinha interrompe, aquilo q vim a saber, ser um post do Mark, publicado aqui no dia 31 de Ago. do ano passado.
Após aturada pesquisa, lá consegui descobrir o resto da coisa, q rezava assim: "O resto da história virá com mais tempo e mais detalhes, porque agora temos um concerto pra dar..."
Mais curiosa fiquei. Então decidi procurar primeiro o fio à meada e dps fui à busca do tal "resto da história", q vim a encontrar noutro post do Mark, de 01 de Out. de 2007.
Conclusão: o Laranjinha, à boa moda de um qq pasquim terceiro mundista, decide reeditar apenas a parte do texto, q lhe interessa e tenta omitir o resto, como se nada mais se tivesse passado.
E o "resto" meus amigos, é apenas e só a explicação do episódio "CLÃ" q o próprio decidiu ressuscitar mas q n teve a coragem de reeditar.
Com q objectivo e com q motivações? N sabemos.
O q fiquei a saber, foi q a culpa do episódio "CLÃ", afinal foi da inteira responsabilidade da organização LARANJA da Feira.
Ups!...Secalhar era isto que não era pra se saber...
Ou seja, a organização engana os rapazes dos The Mystery Artist (q pelos vistos até são da terra!). Os rapazes, pq induzidos em erro, colocam o nome dos Clã em jogo mas mesmo assim, têm a lucidez de pedir desculpas aos visados, e o Laranjinha ainda tem a lata de criticar esse gesto??
Pergunto ao Mark: e o pedido de desculpas a que voçês têm direito, já apareceu ou perdeu-se no caminho?
Larajinha, compreendo a tua imaturidade, afinal não passas disso mesmo, uma Laranjinha.
E da maneira que as coisas vão, para o ano acabam-se as laranjas por estas bandas e tu sem passares de Laranjinha...

Teresa M.

P.S.: Laranjinha, secalhar não encontraste o link da história toda, deve ter sido isso...
Segue este link:
http://pensar-carrazeda.blogspot.com/2007/10/daqui-e-dali-mark.html
Está lá tudo, explicadinho!