quinta-feira, 17 de julho de 2008

José Silvano acredita que CP e REFER não querem encerramento da linha do Tua

O presidente do Metro de Mirandela, José Silvano, acredita que a CP e a REFER estão a esforçar-se para que a linha ferroviária do Tua não encerre.A convicção de José Silvano assenta nos constantes investimentos que aquelas duas empresas continuam a efectuar para a consolidação e manutenção da linha. O também autarca de Mirandela acredita que a discussão pública sobre o estudo de impacte ambiental da construção da barragem de Foz-Tua, que se inicia no próximo mês, possa trazer argumentos válidos para "travar" a construção daquele empreendimento hidroeléctrico. Convicção de José Silvano, manifestada no final da cerimónia de assinatura de um acordo entre o Metro de Mirandela e o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, como resultado de negociações que começaram em 2007.
José Manuel Rodrigues, dirigente daquele sindicato afecto à CGTP, considera que este acordo pode contribuir para a manutenção da linha do Tua e consequentemente viabilizar a empresa Metro de Mirandela.
A empresa Metro de Mirandela foi constituída há 13 anos quando tinha a seu cargo a exploração da linha entre Mirandela e Carvalhais, e apenas dois trabalhadores com contratos a prazo.
Desde 2001, ano em que a CP decidiu retirar as carruagens que circulavam na linha do Tua, até Mirandela, foi estabelecido um protocolo de prestação de serviço com a CP para permitir o transporte ferroviário na linha do Tua com as composições do Metro.
Actualmente, a empresa já tem oito trabalhadores (sete operadores e um administrativo), pelo que já foi possível estabelecer este acordo de empresa que mais não é que a regulamentação das condições de trabalho.

CIR/Eduardo Pinto/Rádio Ansiães

4 comentários:

Anónimo disse...

José Silvano não deveria acreditar muito na CP nem na REFER.
Recue á decada de 90, e questione porque foi destruida a estação ferroviária de S. Lourenço...

Anónimo disse...

Então as pessoas hão-de preocupar-se muito!?
Apenas deixo esta pergunta ao "auditório"(?).
Eu tiro o chapéu aos ambientalistas já por demais identificados e a todos aqueles que são verdadeiros amantes da natureza, pois são pessoas amadurecidas, inteligentes, convictas...
Por vezes são até excessivas nas suas tomadas de posição pois para elas quase sempre é o tudo ou nada, ou seja, não são muito dados a pontos de equilíbrio.
Mas a minha pergunta inicial tem a ver com o facto de sabermos já a posição da Câmara Municipal de Carrazeda, posição que ao certo não traduzirá a opinião do concelho, suas organizações Associativas e de outras forças vivas, nem tão pouco da Assembleia Municipal.
Então que dizer da Junta de Freguesia do Pombal de Ansiães?
Que raio! Será que as pessoas que fazem parte daquela Junta são todos surdos, mudos, analfabetos ou maluquinhos?
Nunca tomaram qualquer posição a favor, contra ou assim assim!
Uma freguesia como Pombal, que quase sempre se pautou por comportamentos defensores de seus interesses, aparece em todo este processo como que não exista!
E que dizer da posição da sua Associação Social, Recreativa e Desportiva?
Também esta nada diz e no entanto é sabido que sempre se orienta (ou orientou) por valores indissociáveis do desenvolvimento local!
Estas interrogações têm todo o sentido. Sim, porque se toda a gente anda inconformada, aborrecida com esta discussão, que dizer destes Pombalinos ou Pombalenses, que se escondem por detrás de sua, porventura incompetência, ou pelo menos possuidores de qual sentimento de inquietação que normalmente surge com a ideia de perigo real ou mesmo aparente.O Pombal de Ansiães não é realmente o que já foi!
Os seus representantes políticos de hoje, devem corar de vergonha porque para nada servem a não ser para verem a barragem e o comboio passar!
E que sejam os os outros a tratar dos seus problemas!

Anónimo disse...

Há pessoas bem válidas em Pombal, mas também aqui caberá perguntar porque é que muitos deles (pelo menos alguns bem conhecidos)não emitem suas opiniões?
Têm medo de quê?
E deixem-se de anonimatos. Chamem aos bois pelos nomes.
Ou estão a guardar-se para o dia de são nunca?
Há, já sei...

Mario disse...

Felicito os que se empenharam, anónimos ou não, neste debate

Os defensores da barragem terão concerteza os seus trunfos para poderem convencer os Carrazedenses dos seus befícios embora já desmentidos quer pela Drº Ana Paula Vitorino (não vai criar postos de trabalho, nem haverá alternativas à linha) quer pelo Dr Orlando Borges do Inag que considera que os munícipios não têm que exigir contrapartidas antes pelo contrário deviam agradecer .. Perante isto desejo que tudo corra pelo melhor.. Tentei e temtámos duma forma isenta ,dar o melhor para o cabal esclarecimento de todos em defesa daquilo que já temos e que muitos invejam e que na Suiça propoem para Património Mundial...

Espero que os que sugerem a alternativa barragem não defraudem as espectativas que criaram..

Por mim dou por terminado o meu contributo

obrigado por me terem aturado mas sou como todos vós...
Transmontano..de Carrazeda