terça-feira, 11 de maio de 2010

Câmara de Carrazeda pede um milhão de euros de indemnização à EDP

A Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães exige à EDP um milhão de euros como compensação pelos prejuízos que a construção da barragem do Tua vai causar ao concelho.
É uma das reivindicações constantes numa carta enviada àquela empresa e ao secretário de Estado do Ambiente.
O autarca justifica a pretensão dizendo que “é pela compensação da localização da barragem bem como pela destruição da fauna, flora e do património natural que constitui o vale do Tua sendo que a maioria deste património é pertença do concelho de Carrazeda”.
José Luís Correia acrescenta que “a EDP deve quantificar o apoio a disponibilizar ou a forma de colaboração para a recuperação e dinamização da Caldas de São Lourenço como forma de promover a existência de turismo e saúde de bem-estar”.
A autarquia de Carrazeda também reclama que a EDP se responsabilize pelo transporte público e que estude a possibilidade de construir um novo troço de caminho-de-ferro alternativo ao que vai ser submerso pela barragem.
Caso por razões financeiras seja inviável, a Câmara contrapõe com novas vias rodoviárias.
A câmara defende uma alternativa rodoviária sem custos de manutenção que passará pela requalificar da EN314 da Brunheda ao Pombal e da via municipal do Pombal ao São Lourenço” refere.
Por outro lado, fala também na “construção de uma via panorâmica ao longo do vale do Tua nas proximidades da albufeira. De São Lourenço a barragem deve haver ligação à actual EN108”. O autarca considera que “o impacte visual destas estradas será sempre reduzido quando comparado com a construção da barragem” sendo que “esta solução permite a oferta de um serviço de transporte flexível, conformável e rápido com todas as oportunidade desenvolvimento que a barragem possa gerar”.
Segundo José Luís Correia, pretende-se ainda que os estradões que vão ser criados na margem do seu concelho para acessos à zona onde vai ser construído o paredão da barragem sejam transformados em estrada rodoviária.
Nós defendemos a sua manutenção e requalificação à EN214” ou seja, “eles têm que fazer acessos na nossa margem para construir o paredão prevendo que tudo seja renatura lizado, mas nós queremos que continue, seja requalificado e continue até ao concelho de Alijó”.
Numa reunião recentemente realizada em Murça, os cinco municípios do vale do Tua (Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor), enviaram um caderno reivindicativo, no qual exigem compensações justas para os concelhos, no caso da construção da barragem vir a ser uma certeza.
Reivindicam que três por cento do valor líquido anual médio da produção sirva para constituir um fundo de financiamento da futura agência de desenvolvimento do vale do Tua.
E que este fundo financie projectos nos cinco concelhos.
CIR/Brigantia

11 comentários:

Anónimo disse...

Mais devagarinho Sr. Presidente !!!

É pedir muito.

mario carvalho disse...

Pedintes.....Mendigos!!!



Quanto gastarem no cenitério de Carrazeda????`


isso não dá para comprar um aparatamento em Leça junto ao ar PURO da refinaria...

EU NÃO ACREDITO que o José Luis tenha dito isto

mario carvalho disse...

Caros amigos

Não vou entrar no esquema nacional

Não vou pedir um empréstimo ao estrangeiro para me endividar a mim e ao país, só porque o meu teclado/computador não está a funcionar em condições..e nem sei porquê?.. Se calhar são os virus das Agencias de Rating..

As minhas desculpas .. que sei que todos compreendem e aceitam ao contrário dos pedidos de mais sacríficios.e impostos.. sempre aos mesmos

cumprimentos

mario

Anónimo disse...

Um milhão de euros, são 200.000 contos. Ora isso não é nada. Deve haver aqui algum equivoco. Qualquer euro milhões dá mais do que isso. No entanto fazer uma estrada ao longo do percurso do rio é destruir 2 ou 3 vezes mais o património natural do vale. Se a linha do Tua, por sua vez, já destruiu bastante, então a estrada ainda seria pior. Deixem-se de brincadeiras. O mar é navegável, os rios também...

Anónimo disse...

Carrazeda a preço de Saldos!!!

Vendidos ao desbarato!!

Como é feita a conta, para chegar a este preço??

Nem paga o cemitério( 1,3 MILHÕES) para o genocidio dos Carrazedenses!!! Com direito também a Boiar!!


Cris

J.Pinto disse...

Ou este artigo está muito mal redigido, ou então é uma vergonha!
Falam em Um milhão, falam em alternativa ferroviária, mas se não der podem ser estradas sem custos de manutenção, seja isso o que for(?!?!).
Que a EDP se responsabilize pelos transportes públicos? Que dizer de "...com todas as oportunidades de desenvolvimento que a barragem possa gerar."
Deve ser o acordo ortográfico, mas não percebo como estradas poderão "compensar" a destruição do vale. Estradas para quem, para ir aonde, levar o quê?
Depois um milhão pela destruição da fauna da flora e do património. Quem fez esta avaliação? Porquê um milhão, se não se podem "criar" terrenos de região demarcada? Se o clima ficar alterado e prejudicar as culturas, que paga os prejuízos aos lavradores e aos proprietários?
Se esta carta seguiu nestes termos, bem podemos ter a certeza que no ministério do ambiente se vão fartar de rir! à custa dos que não sabem o que têm, nem o que querem.

mario carvalho disse...

Para corar de vergonha

13/05/2010

"Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento dos caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas, quando se quer falar de um país caótico que pela sua decadência progressiva poderá vir a ser riscado do mapa da Europa - citam-se, a par, a Grécia e Portugal. Nós, porém, não possuímos como a Grécia, além de uma história gloriosa, a honra de ter criado uma religião, uma literatura de modelo universal e o museu humano da beleza da Arte. Apenas nos ufamos do Sr. Lisboa, barítono, e do Sr. Vidal, lírico."

Eça de Queiroz, in "Uma Campanha Alegre", (1872) pág. 235, edição Livros do Brasil

Eça de Queiroz escreveu esta reflexão em Janeiro de 1872. Ou seja, passaram-se entretanto 138 anos e cinco meses. Reler, agora, as observações de Eça faz o país corar de vergonha. O diagnóstico, pela sua actualidade, é aterrador. A terapia, por seu lado, continua ausente. Portugal continua entretido a enganar-se a si próprio, praticando o desporto preferido das avestruzes - o de enterrar a cabeça na areia.

João disse...

Espero que o que venha a resultar de tantas e diversificadas exigências não se traduza em mais algum elefante branco,que a ninguém e para nada sirva.
JLM

Anónimo disse...

Com este Presidente o Concelho de Carrazeda de Ansiães sairá rápidamente do abismo. Sr Presidente da Câmara, brigado por ter assumido o duro papel de arcar com as consequências de um Concelho morto.
Aos poucos nota-se a diferença.
Um abraço

mario carvalho disse...

Pensei escrever uma carta aberta ao Senhor Presidente da Camara de Carrazeda mas vou ser mais informal dando a minha opinião
Por isso sugiro uma vista de olhos ao site
e aos comentários

http://pensar-carrazeda.blogspot.com/2010/02/municipios-nao-vao-lucrar-com-barragem.html


Permitam-me que faça um ponto da situação:

- Decorre , nesta fase , o RECAPE
da DIA .. declaração de impacto ambiental .. aprovada mas altamente condicionada.

A EDP tem de demonstrar que consegue "resolver" todos os condicionamentos e se o fizer .. a barragem segue

A Trvessia co coroamento e as estradas estão interditas porque interferem com a flora da margem esquerda do rio.. (o que fica 120 metro de baixo de água.. durante 20Km .. é para interesse nacional.Lisboa)..

a Edp já disse que o que tinha a pagar o faria ao Estado tendo já adiantado cerca de 50 milhões de €

A Edp já disse que não pagaria nada às autarquias porque a percentagem é para o ICN ( Instituo de Conservação da Natureza)
A Edp já disse que não fari nenhuma linha pois ficari mais cara que a própria barragem

A Edp já disse que as autarquias têm é de reclamar do Estado pois é o Estado que aprova ou não a Barragem

A Edp comprometeu-se a fazer um museu do Tua.. !!LOL!! e a apoiar uma agencia de investimento.. Estão a ver.. não estão?


Entretanto .. Senhor Presidente.. Se construir uma linha com a tecnologia do sec XXI , até à Brunheda fica por 200milhões de €
quanto não vale a que tem no concelho de Carrazeda?.. com todas aquelsa obras de arte? e Paisagem?

1 milhão pela linha pelas vinhas e pelo futuro dos transmontanos? Pense bem

Quantas pessoas viajavam no metro antes dele fechar?.. E Agora?.. Quem vai visitar as obras de destruição?

cumprimentos
mario

mario carvalho disse...

O Inag ( Carlos Borges) disse que as autarquias não têm nada a exigir .. até se deviam sentir orgulhosas por terem sido escolhidas para a construção da barragem
a Edp já disse que o que tinha a pagar o faria ao Estado tendo já adiantado cerca de 50 milhões de €


Resalvo e complemento:


Entretanto .. Senhor Presidente.. Se construir uma linha com a tecnologia do sec XXI , até à Brunheda fica por 200milhões de €
quanto não vale a que tem no concelho de Carrazeda?.. com todas aquelsa obras de arte? e Paisagem?

1 milhão pela linha pelas vinhas e pelo futuro dos transmontanos? Pense bem

Quantas pessoas viajavam no metro antes dele fechar?.. E Agora?.. Quem vai visitar as obras de destruição?

Perante isto .. como pensa agir..

O Senhor exige isto e mais aquilo .. mas baseado em quê?

E se eles lhes responderem que não qual é a titude que vai tomar a seguir? ou acata pura e simplesmente ..como é costume em Carrazeda

cumprimentos
mario